Prof. Pedro Paulo – Tecnologia, Sociologi@ & Filosofi@

A Tecnologia como ferramenta a serviço da Educação

Filosofia – Capítulo 1 – …..A atitude filosófica

A FILOSOFIA NAS ENTRELINHAS

Imagem

Punks nas ruas de Londres nos anos de 1980.

O movimento “punk”, surgido em fins dos anos 1970, com manifestações na música, nas artes pláticas, na moda, na literatura, entre outras manifestações do pensamento, caracteriza-se pela negação dos valores tradicionais da sociedade.

Faça uma pesquisa sobre esse movimento levando em conta o conceito de nossas crenças silenciosas, pelas quias acreditamos que a vida com outras pessoas nos faz semelhantes ou diferentes em decorrência de normas e valores morais, políticos, religiosos e artísticos, regras de conduta, finalidades da vida.

Anúncios

Sobre brito964

Nascido em Belo Horizonte - 44 anos. Pedagogo. Professor/Analista da Educação. Educação. Tecnologia. Aprendizagem em Ambientes Colaborativos. Casado. Arinos - MG.

58 comentários em “Filosofia – Capítulo 1 – …..A atitude filosófica

  1. brena eduarda
    12/05/2012

    Brena Eduarda técnico em agropecuária A.

    1. Que paralelos podemos estabelecer entre a personagem Neo, do filme Matrix, e o filósofo Sócrates?

    Sócrates passou a vida tentando convencer a sociedade de Atenas, Grécia que o que eles acham que é óbvio nem sempre é correto. Ele se esforçou para fazer o povo de Atenas despertar para a verdade. Da mesma forma Neo lutou contra a sociedade na Matriz. Ele lutou para mostrar impulsionar a verdade, que a matriz não era real.

    2. Por que Sócrates é considerado o “patrono da filosofia”?

    Porque ele jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade e com as crenças mantidas inquestionáveis pelos seus conterrâneos. Em suma, Sócrates desconfiava das aparências e procurava a realidade verdadeira das coisas.

    3. O que Platão quis representar no Mito da Caverna?

    Na visão de mundo de Platão, como expresso no “Mito da Caverna”, os seres humanos existem no mundo de se tornar, um mundo que é impermanente e está sempre mudando. Um outro mundo existe que transcende este mundo.

    4. Que são as nossas crenças costumeiras?

    Crença são coisas ou ideias em que acreditamos sem questionar, que aceitamos porque são óbvias, evidentes.

    5. Em que momento passamos da atitude costumeira à atitude filosófica?

    Passamos para atitude costumeira quando estamos fazendo as mesmas coisas que todo mundo ja é acostumado a fazer.

    Para passarmos para a atitude filosófica é preciso aprendemos a fazer as nossas próprias perguntas e criarmos também as nossas próprias respostas.

    6. Quais as três principais perguntas que caracterizam a atitude filosófica?

    1) de causa ou motivo: Por que pensamos o que pensamos, dizemos o que dizemos e fazemos o que fazemos? 2) de conteúdo ou sentido: O que queremos pensar quando pensamos, dizer quando falamos, fazer quando agimos? 3) de intenção ou finalidade: Para que pensamos o que pensamos, dizemos o que dizemos e fazemos o que fazemos?

  2. Anônimo
    12/05/2012

    O movimento com o seu modo de se vestir e modo de pentiado faz um protesto anbulante tenta demostrar que o consumismo nao e tudo na sociedade e temta falar que outoritarismo uma boa forma para a solucao dos problemas na sociedade,é eles tambemde alguma forma luta contra o preconceito sociao e para aqueles que acham que ser punk e ser bagunceiro pelo comtrario prega a inclusão cultural

    para mim as diferensa que existem entre quem e punk e quem nao e ,nao nus torna melhores ou piores e todos são iguais nao inportando sua cultura ou tribo

    NOME:Samuel Pereira
    TURMA:1°agropecuaria2

  3. danilo lisboa de souza
    12/05/2012

    A cultura punk são estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo a autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação.

  4. Ana Luisa Mendes
    14/05/2012

    Ana Luisa Mendes em técnico em informática A

    A partir do fim da década de 1970 o conceito de cultura punk adquiriu novo sentido com a expressão Movimento Punk, que passou a ser usada para definir sua transformação em tribo urbana. O movimento punk é uma forma mais ou menos organizada e unificada, com o intuito de alcançar objetivos seja a revolução política, almejada de forma diferente pelos vários subgrupos do movimento, seja a preservação e resistência da tradição punk, como forma cultural deliberadamente marginal e alternativa à cultura tradicional vigente na sociedade ou como manifestação de segregação e autoafirmação por gangues de rua. A cultura punk, segundo esta definição, pode então ser entendida como costumes, tradições e ideologias de uma organização ou grupo social. Apesar de atualmente o conceito movimento punk ser a interpretação mais popular de cultura punk, nem todos os indivíduos ligados a esta cultura são membros de um grupo ou movimento. A diferença de postura entre o movimento punk e outros adeptos da cultura é responsável por constantes conflitos e discussões, violentos ou não, que ocorrem em encontros destes indivíduos em ruas e festivais, ou através de meios de comunicação alternativos como revistas, fanzines e fóruns.O estilo punk pode ser reconhecido pela combinação de alguns elementos considerados típicos (alfinetes, patches, lenços à mostra no bolso traseiro da calça, calças jeans rasgadas, calças pretas justas, jaquetas de couro com rebites e mensagens inscritas nas costas, coturnos, piercings, tênis converse, correntes, corte de cabelo moicano,(colorido ou espetado, etc) ou Spike (espetado dos lados, atrás e em cima) e em alguns casos lápis ou sombra no olho, sendo esta combinação aleatória ou de acordo com combinações comuns à certos subgêneros punk, ou ainda o reconhecimento pode ser pelo uso de uma aparência que seja desleixada, “artesanalmente” adaptada e que carregue alguma sugestão ou similaridade com o punk sem necessariamente utilizar os itens tradicionais do estilo.Enquanto o estilo punk desligado de um movimento costuma utilizar com liberdade os elementos, combinando peças intuitivamente e utilizando outros itens que não fazem parte do estilo clássico, os membros dos diversos grupos do movimento punk consideram fundamental algumas combinações tradicionais de elementos, uma vez que elas identificam o grupo (e consequentemente a ideologia) específico que o indivíduo pertence.Em diversos países, incluindo o Brasil, a roupa é na maioria das vezes o elemento que desencadeia as brigas de rua entre gangues, membros de grupos divergentes do movimento punk e outros movimentos que repudiam o punk.
    O movimento punk no Brasil surgiu no final da década de 1970. O movimento punk no Brasil seguiu firme e forte, mesmo com todas as dificuldades, e foi crescendo, e hoje praticamente todas as cidades brasileiras tem uma cena punk e o movimento brasileiro é considerado um dos maiores do mundo, com muitas bandas brasileiras indo tocar na Europa em festivais importantes.
    O movimento punk é a subcultura que rodeia à música punk e os aficionados a ela. Usualmente vinculada a outsiders pela cultura popular, as práticas culturais punks incluem uma série de códigos de comportamento, linguagem, vestimenta e temáticas que se voltaram recorrentes e que os distinguem. Seu principal médio de expressão são os concertos do gênero cena e as publicações de aficionados fanzine.
    Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres.Atualmente o movimento atua com outros oprimidos grupos como: homossexuais, por achar que todos têm o direito de opção sexual sem ser discriminado; grupos de negros, feministas e outros grupos de atividades alternativas e libertárias. Também mantém ligação com outros punks do Brasil e mundo, levando a cultura internacionalista, não patriota.
    O punk se opõe e odeia todo tipo de poder ou autoritarismo, tudo que oprime a liberdade de se expressar ou de pensar do ser humano, por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito, exploração. E essa sociedade é claro que só pode ser a plenitude de uma sociedade anarquista.

  5. Anônimo
    14/05/2012

    Nome:Suel marcio
    turma:informática (1)
    Faça uma pesquisa sobre esse movimento levando em conta o conceito de nossas crenças silenciosas, pelas quias acreditamos que a vida com outras pessoas nos faz semelhantes ou diferentes em decorrência de normas e valores morais, políticos, religiosos e artísticos, regras de conduta, finalidades da vida.

    Resposta? O movimento punk como todos nos conhesemos tem um modo de vida diferente da sociedade eles te seu jeito de ser diferente da população como sua religião seu modo de se vestir gostos diferentes. para algums e cultura para outro que tem um olhar diferente pode se gera precomseito e uma mudança na sociedade.

  6. Brena Eduarda
    14/05/2012

    Brena eduarda técnico em agropecuária A.Faça uma pesquisa sobre esse movimento levando em conta o conceito de nossas crenças silenciosas, pelas quais acreditamos que a vida com outras pessoas nos faz semelhantes ou diferentes em decorrência de normas e valores morais, políticos, religiosos e artísticos, regras de conduta, finalidades da vida . O Movimento Punk, passou a ser usada para definir sua transformação em tribo urbana, substituindo uma concepção abrangente e pouco definida da atitude individual fundamentalmente cultura pelo conceito de movimento social propriamente a aceitação pelo indivíduo de uma ideologia, comportamento e postura supostos comum a todos membros do movimento punk. A partir de ideologias concretas, a contestação contra o sistema tornou de forma ideológica através do Punk. Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK. Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexíssimo e comando; vendo como solução a autogestão para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres. Em palavras mais claras, autogestão seria a organização dos povos sem fronteiras nem lideranças autoritárias e partidárias, com plena igualdade, onde todos participariam da resolução dos problemas sociais .A diversidade de ideias implica várias vezes o convívio em sociedade. Há indivíduos que defendem abertamente suas ideias causando conflitos . Crenças silenciosas e ideias de um indivíduo que não deve afetar o espaço do outro, para viver em sociedade com respeito e preservação de sua vida, pondo o ser humano como ser fundamental e valorizando o seu modo de pensar e de agir .

  7. aline cordeiro
    14/05/2012

    A contestação contra o sistema de coisas tornou forma ideológica através do Punk.

    Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo à moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas (em oposição ao consumismo), jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK.

    Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres.
    Atualmente o movimento atua com outros oprimidos grupos como: homossexuais, por achar que todos têm o direito de opção sexual sem ser discriminado; grupos de negros, feministas e outros grupos de atividades alternativas e libertárias. Também mantém ligação com outros punks do Brasil e mundo, levando a cultura internacionalista, não patriota.

    na minha opinião as nossas diferenças dos punk não nos torna nem melhores nem piores que os outros,primeiro que ninguem é melhor que ninguem,segundo que os pank se expressa de modo diferente e eles procuram acabar de vez com qualquer tipo de preconceito.

  8. aline cordeiro
    14/05/2012

    A contestação contra o sistema de coisas tornou forma ideológica através do Punk.

    Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo à moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas (em oposição ao consumismo), jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK.

    Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres.
    Atualmente o movimento atua com outros oprimidos grupos como: homossexuais, por achar que todos têm o direito de opção sexual sem ser discriminado; grupos de negros, feministas e outros grupos de atividades alternativas e libertárias. Também mantém ligação com outros punks do Brasil e mundo, levando a cultura internacionalista, não patriota.

    na minha opinião as nossas diferenças dos punk não nos torna nem melhores nem piores que os outros,primeiro que ninguem é melhor que ninguem,segundo que os pank se expressa de modo diferente e eles procuram acabar de vez com qualquer tipo de preconceito.

    aline cordeiro 1º agro A

  9. Caio Augusto e Daniel Durães
    14/05/2012

    A cultura punk são estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo a autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. Algumas pessoas são discriminadas pelos seus atos e valores morais por causa do seu jeito e aparência e também por terem opiniões abertas a todos. Também tem outras que já são guardadas e tem uma aparência bem vista entre a população. Pessoas assim sofrem também agressões fisicas e psicológica e não revelam suas opiniões com medo

  10. Caio Augusto e Daniel Durães
    14/05/2012

    A cultura punk são estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo a autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação.

  11. Beatriz Batista de Souza
    14/05/2012

    1° ano-INFO I

    Os punks estão ai para mostrar a realidade,eles tem seu próprio estilo eles fazem protestos e que for para defenderem os que eles pensam.Se inspiram em músicas,moda,design,cinema e outros.Sustentam valores como anti-machismo,anti-homofobia,anti-facismo,amor livre entre outros.Entre eles a criação de filosofias,estilos de músicas,vestuários particulares

  12. Beatriz Batista de Souza
    14/05/2012

    Os povos punks fazem manifestações para alcançar seus objetivos sejam em o que for anti-machismo,anti-homofobia,anti-facismo.Tem seu próprio estilo de filosofar de falar agir se vestir.Geralmente usam cabelos colorido , moicano, tênis converse se inspiram em músicas para fazerem seu estilo.
    Na minha opinião temos as mesmas formas de pensamentos mas muitos não temos a mesma coragem de lutar por aquilo que queremos defender o outro!

  13. Beatriz Batista de Souza
    14/05/2012

    Os povos punks fazem manifestações para alcançar seus objetivos sejam em o que for anti-machismo,anti-homofobia,anti-facismo.Tem seu próprio estilo de filosofar de falar agir se vestir.Geralmente usam cabelos colorido , moicano, tênis converse se inspiram em músicas para fazerem seu estilo.
    Na minha opinião temos as mesmas formas de pensamentos mas muitos não temos a mesma coragem de lutar por aquilo que queremos defender o outro!
    1° ano Infomática I

  14. Brunna Emylaine
    15/05/2012

    Brunna Emylaine Araujo Damacena . 1º Informártica A

    A contestação contra o sistema de coisas tornou forma ideológica através do Punk. Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo à moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas (em oposição ao consumismo), jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK. Eles fazem manifestações mostrando a revolta sobre tais assuntos, sua opiniões. Cada um tem seu jeito de se expressar e viver a vida, e eles escolheram essa forma agressiva e bizarra.

  15. Marília de Oliveira
    16/05/2012

    Denomina-se cultura punk os estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo o princípio de autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. Surge dentro do contexto da contracultura, como reação à não-violência dos hippies e a um certo otimismo daqueles.

  16. victor felipe
    16/05/2012

    A cultura punk são estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, eles não tem religião e prega a liberdade, o interesse pela aparência agressiva, simplisidade e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação.

  17. Victor Felipe
    16/05/2012

    Victor Felipe 1° agro “A”
    A cultura punk são estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo a autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação.

  18. Alexandre Rabello - Info A - 1 Ano
    16/05/2012

    Denomina-se cultura punk os estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo o princípio de autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. Surge dentro do contexto da contracultura, como reação à não-violência dos hippies e a um certo otimismo daqueles.

    Brasil
    O movimento punk em São Paulo surgiu na Zona Norte, mais precisamente a turma roqueira da Vila Carolina, onde desde o início dos anos 70, já se formava uma cena pré-punk influenciada por bandas de protesto estado-unidenses e inglesas, como MC5, The Stooges e Dust. Aqui surge a primeira banda punk brasileira: Restos de Nada.

    O estilo musical punk rock surgiu nos Estados Unidos com a banda The Ramones, que se baseou no rock and roll, com músicas simples e curtas, no máximo com três ou quatro acordes.

    A banda foi formada em 1978 como uma forma de protestar contra a repressão do governo militar e mostrar que diversos jovens lutavam por uma sociedade melhor. O precursor dessas ideias foi o guitarrista Douglas Viscaino que criou a banda. Inspiradas nesse ideal, muitas outras bandas se formaram para também criticar o regime, tais quais como AI-5,

    Detrito Federal, Condutores de Cadáver, Cólera, Aborto Elétrico, entre outras.
    Em Brasília, o punk rock chegou por volta de 1977, através de filhos de políticos e embaixadores que trouxeram do exterior álbuns de bandas de punk rock que estavam nas paradas inglesas da época.

    Atualmente, o conceito de punk é um pouco diferente do punk “clássico”. De fato, entre os membros da tribo não existe agressividade e pessimismo, características atribuídas às tribos surgidas Inglaterra.

    No final de 2011 um grupo de punks anarquistas e antifascistas invadiu um prédio abandonado pela administração da Universidade de São Paulo dentro do campus Cidade Universitária, no Butantã, zona oeste da capital paulista.

    No Brasil já ocorreram confrontos documentados entre grupos de punks e skinheads.Em Belo Horizonte uma briga entre punks e skinheads deixou duas pessoas feridas por facadas na Praça da Liberdade. Em São Paulo um skinhead obrigou um punk a pular da janela de um trem. Na rua augusta punks também mataram um skinhead.

    Em São Paulo já foram registrados confrontos entre punks e e skinheads envolvendo aproximadamente 200 pessoas. Em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, uma briga envolvendo punks, skinheads e neonazistas resultou em 8 feridos.

    Os punks geralmente usam calças jeans justas, rasgadas, jaquetas de couro, coturnos, tênis converse, correntes, corte de cabelo moicano ou cabelo um pouco comprido. A moda punk contrasta com a moda vigente e sempre apresenta elementos contestadores aos valores aceitos pela sociedade. Entre as características ideológicas podemos citar o anti-nazismo, o amor livre, a liberdade individual, o autodidatismo e o cosmopolismo.

  19. Eduardo Martins da Silva
    16/05/2012

    A cultura punk e estilos que possuem certas características comuns , como por exemplo a autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Os estilos dos punk :musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento éticos e políticos , expressões linguísticas, símbolos e outros códigos
    diferença de postura entre o movimento punk é responsável por constantes conflitos e discussões, que ocorrem em encontros destes indivíduos em ruas e festivais, ou através de meios de comunicação como revistas, fanzines.O punk oprime a liberdade de se expressar por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito. E essa sociedade é claro que só pode ser a plenitude de uma sociedade anarquista e fóruns.

  20. Eduardo Martins da Silva (INFO"A")
    16/05/2012

    A cultura punk e estilos que possuem certas características comuns , como por exemplo a autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Os estilos dos punk :musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento éticos e políticos , expressões linguísticas, símbolos e outros códigos
    diferença de postura entre o movimento punk é responsável por constantes conflitos e discussões, que ocorrem em encontros destes indivíduos em ruas e festivais, ou através de meios de comunicação como revistas, fanzines.O punk oprime a liberdade de se expressar por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito. E essa sociedade é claro que só pode ser a plenitude de uma sociedade anarquista e fóruns.

  21. diesley de deus dias -infor A
    16/05/2012

    Originalmente o punk surge por volta de 1974 como uma manifestação cultural juvenil semelhante aos da década de 1950 e 1960: era caracterizado quase que totalmente por um estilo baseado em música, moda e comportamento.
    A primeira manifestação genuinamente punk, no entanto, o estilo punk rock, surge primeiro nos Estados Unidos com a banda The Ramones por volta de 1974 e é caracterizada por um revivalismo da cultura rock and roll (músicas curtas, simples e dançantes) e do estilo rocker/greaser (jaquetas de couro estilo motociclista, camiseta branca, calça jeans, tênis e o culto à juventude, diversão e rebeldia).
    Enquanto o rock and roll tradicional ainda criava estrelas do rock, que distanciavam o público do músico, o punk rock rompeu este distanciamento trazendo o princípio da música super-simplificada (pouco mais que três acordes, facilmente tocados por qualquer pessoa sem formação mínima musical) e instigando naturalmente outros adolescentes a criarem suas próprias bandas. O punk rock chega à Inglaterra e influencia uma série de jovens pouco menos de um ano depois.
    Extremamente empolgado pela apresentação dos Ramones, Mark Perry abandona seu emprego e produz o primeiro fanzine punk, o Sniffin’ Glue (“cheirando cola”), com a intenção de promover esta nova agitação cultural. O fanzine foi o símbolo marco para o “Do it yourself” (faça-você-mesmo) punk, não tinha quase nenhum recurso financeiro e era marcado pelo estilo visual deliberadamente grosseiro e com senso de humor ácido.

  22. Na Alegoria da Caverna é um exemplo, o prisioneiro que é libertado e conhece o mundo do lado de fora da caverna adquire uma visão mais ampla da realidade do que seus companheiros que permaneceram presos. Porém, quando ele volta à caverna, não consegue comunicar de modo compreensível o conhecimento que adquiriu, sendo considerado ridículo, louco e até ameaçador. Sua experiência fora da caverna é considerada inútil e mesmo perigosa. Essa situação retrata a relação da Filosofia com o Senso Comum.O movimento punk é a subcultura que rodeia à música punk e os aficionados a ela. Usualmente vinculada a outsiders pela cultura popular, as práticas culturais punks incluem uma série de códigos de comportamento, linguagem, vestimenta e temáticas que se voltaram recorrentes e que os distinguem. Seu principal médio de expressão são os concertos do gênero cena e as publicações de aficionados fanzine.O movimento punk no Brasil surgiu no final da década de 1970. O movimento punk no Brasil seguiu firme e forte, mesmo com todas as dificuldades, e foi crescendo, e hoje praticamente todas as cidades brasileiras tem uma cena punk e o movimento brasileiro é considerado um dos maiores do mundo, com muitas bandas brasileiras indo tocar na Europa em festivais importantes.

    Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres.Atualmente o movimento atua com outros oprimidos grupos como: homossexuais, por achar que todos têm o direito de opção sexual sem ser discriminado; grupos de negros, feministas e outros grupos de atividades alternativas e libertárias. Também mantém ligação com outros punks do Brasil e mundo, levando a cultura internacionalista, não patriota.
    O punk se opõe e odeia todo tipo de poder ou autoritarismo, tudo que oprime a liberdade de se expressar ou de pensar do ser humano, por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito, exploração.

  23. FERNANDA CARDOSO, PAULO CÉSAR E BRUNO ARLEY
    16/05/2012

    Faça uma pesquisa sobre esse movimento levando em conta o conceito de nossas crenças silenciosas, pelas quias acreditamos que a vida com outras pessoas nos faz semelhantes ou diferentes em decorrência de normas e valores morais, políticos, religiosos e artísticos, regras de conduta, finalidades da vida.
    Na Alegoria da Caverna é um exemplo, o prisioneiro que é libertado e conhece o mundo do lado de fora da caverna adquire uma visão mais ampla da realidade do que seus companheiros que permaneceram presos. Porém, quando ele volta à caverna, não consegue comunicar de modo compreensível o conhecimento que adquiriu, sendo considerado ridículo, louco e até ameaçador. Sua experiência fora da caverna é considerada inútil e mesmo perigosa. Essa situação retrata a relação da Filosofia com o Senso Comum.O movimento punk é a subcultura que rodeia à música punk e os aficionados a ela. Usualmente vinculada a outsiders pela cultura popular, as práticas culturais punks incluem uma série de códigos de comportamento, linguagem, vestimenta e temáticas que se voltaram recorrentes e que os distinguem. Seu principal médio de expressão são os concertos do gênero cena e as publicações de aficionados fanzine.O movimento punk no Brasil surgiu no final da década de 1970. O movimento punk no Brasil seguiu firme e forte, mesmo com todas as dificuldades, e foi crescendo, e hoje praticamente todas as cidades brasileiras tem uma cena punk e o movimento brasileiro é considerado um dos maiores do mundo, com muitas bandas brasileiras indo tocar na Europa em festivais importantes.

    Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres.Atualmente o movimento atua com outros oprimidos grupos como: homossexuais, por achar que todos têm o direito de opção sexual sem ser discriminado; grupos de negros, feministas e outros grupos de atividades alternativas e libertárias. Também mantém ligação com outros punks do Brasil e mundo, levando a cultura internacionalista, não patriota.
    O punk se opõe e odeia todo tipo de poder ou autoritarismo, tudo que oprime a liberdade de se expressar ou de pensar do ser humano, por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito, exploração

  24. Alaíssa Taís Boza
    16/05/2012

    Alaíssa Taís Boza
    Turma : 1 ano Info A

    Numa época em que as músicas que tocavam nas rádios duravam de dez a quinze minutos, com grandes solos de guitarra e bateria, surge uma música rápida, curta e simples, tocada por rapazes cansados de ouvir hinos hippies e que decidem fazer suas próprias músicas, mesmo não sabendo tocar sequer um acorde. Assim nasce o punk rock em Nova Iorque entre 1974 e 1975, tendo como principal representante os Ramones. Eles já herdavam influências significativas como o MC5 e Stooges, e começam a tocar sem nenhuma pretensão além da diversão, tentando resgatar um pouco do rock dos anos 50 e 60.
    Quase ao mesmo tempo em que nascia o punk, acabava os New York Dolls , a principal banda representante do glam rock – eles se vestiam como mulheres, além de usar purpurina e maquiagem, que era empresariada por uma figura que pouco depois se tornaria peça-chave para o punk, um inglês chamado Malcon McLaren.
    Apesar de o Movimento Punk se assemelhar em todos os países, cada qual ganhou aspectos particulares com o tempo. Quando chegou ao Brasil, o movimento era apolítico, mas foi em meados dos anos 80 que assumiu feições de movimento inclinado à esquerda e alguns punks passaram a colaborar com os anarquistas com rumo totalmente direcionado à militância política, com discussões e ações mais ativas, opondo-se à mídia tradicional, ao Estado, às instituições religiosas e grandes corporações capitalistas.
    Em geral, o movimento defende valores como o anti-machismo, anti-homofobia, anti-fascismo, liberdade individual, autodidatismo, etc.
    Podemos dizer que os punks buscam uma revolução, uma quebra da hegemonia de idéias burguesas. Eles divulgam suas idéias através das músicas, de mídias alternativas – como os fanzines, e principalmente através do seu discurso. Em geral, evitam a mídia de massa, como as televisões pra difundir suas idéias, por acreditarem que essas mídias sejam grandes manipuladores de mentiras à sociedade, distorcendo os fatos em benefício próprio.
    E é entre muita música, debates, violência, política, visual, a anarquia, história, lutas etc é que os punks sobrevivem até hoje no Brasil.

  25. Alaíssa Taís Boza
    16/05/2012

    Alaíssa Taís Boza
    Turma: 1 ano Info A

    Numa época em que as músicas que tocavam nas rádios duravam de dez a quinze minutos, com grandes solos de guitarra e bateria, surge uma música rápida, curta e simples, tocada por rapazes cansados de ouvir hinos hippies e que decidem fazer suas próprias músicas, mesmo não sabendo tocar sequer um acorde.
    Em geral, o movimento defende valores como o anti-machismo, anti-homofobia, anti-fascismo, liberdade individual, autodidatismo, etc.
    Podemos dizer que os punks buscam uma revolução, uma quebra da hegemonia de idéias burguesas. Eles divulgam suas idéias através das músicas, de mídias alternativas – como os fanzines, e principalmente através do seu discurso. Em geral, evitam a mídia de massa, como as televisões pra difundir suas idéias, por acreditarem que essas mídias sejam grandes manipuladores de mentiras à sociedade, distorcendo os fatos em benefício próprio.
    “O punk é um movimento sócio-cultural, ele é a revolta dos jovens da classe menos privilegiada, transportada por meio da música” disse Clemente, vocalista da banda Inocentes em carta resposta sem data à matéria intitulada “A Geração Abandonada” publicada pelo jornal O Estado de São Paulo também sem data definida, no ano de 1982.
    Desde a chegada da cultura punk no Brasil até hoje, a maioria dos punks são pessoas bem jovens, vindas da periferia da cidade. A música com seu discurso anti-governo, a chamada ao confronto, o protesto contra a miséria, fala diretamente com esses jovens, fazendo que eles se identifiquem e passem a participar ativamente do movimento.
    Mas não é só violência a favor de seus ideais que existe no movimento. Apesar de alguns punks não pertencerem a nenhum grupo, as gangues ainda assombram o movimento. As brigas entre gangues, ou entre punks e skinheads (neo-nazistas) ainda existem. Os casos mais graves, que muitas vezes acabam em morte chegam à imprensa, o que taxa equivocadamente todo o movimento como muito violento.
    E é entre muita música, debates, violência, política, visual, a anarquia, história, lutas etc é que os punks sobrevivem até hoje no Brasil.

  26. Alaíssa Taís Boza
    16/05/2012

    Alaíssa Taís Boza
    Turma: 1 ano Info A

    Em geral, o movimento defende valores como o anti-machismo, anti-homofobia, anti-fascismo, liberdade individual, autodidatismo, etc.
    Podemos dizer que os punks buscam uma revolução, uma quebra da hegemonia de idéias burguesas. Eles divulgam suas idéias através das músicas, de mídias alternativas – como os fanzines, e principalmente através do seu discurso. Em geral, evitam a mídia de massa, como as televisões pra difundir suas idéias, por acreditarem que essas mídias sejam grandes manipuladores de mentiras à sociedade, distorcendo os fatos em benefício próprio.
    “O punk é um movimento sócio-cultural, ele é a revolta dos jovens da classe menos privilegiada, transportada por meio da música” disse Clemente, vocalista da banda Inocentes em carta resposta sem data à matéria intitulada “A Geração Abandonada” publicada pelo jornal O Estado de São Paulo também sem data definida, no ano de 1982.
    Desde a chegada da cultura punk no Brasil até hoje, a maioria dos punks são pessoas bem jovens, vindas da periferia da cidade. A música com seu discurso anti-governo, a chamada ao confronto, o protesto contra a miséria, fala diretamente com esses jovens, fazendo que eles se identifiquem e passem a participar ativamente do movimento.
    Mas não é só violência a favor de seus ideais que existe no movimento. Apesar de alguns punks não pertencerem a nenhum grupo, as gangues ainda assombram o movimento. As brigas entre gangues, ou entre punks e skinheads (neo-nazistas) ainda existem. Os casos mais graves, que muitas vezes acabam em morte chegam à imprensa, o que taxa equivocadamente todo o movimento como muito violento.
    E é entre muita música, debates, violência, política, visual, a anarquia, história, lutas etc é que os punks sobrevivem até hoje no Brasil.

  27. Caroline Martins
    16/05/2012

    Caroline Martins
    Turma 1 ano Info A

    MOVIMENTO PUNK A contestação contra o sistema de coisas tornou forma ideológica através do Punk. Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo à moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas (em oposição ao consumismo), jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK. Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de facismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres. Em palavras mais claras, autogestão seria a organização dos povos sem fronteiras nem lideranças autoritárias e partidárias, com plena igualdade, onde todos participariam da resolução dos problemas sociais. O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…

    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…
    Movimento Punk No Brasil

    Novos ares tomaram conta do país no início da década de 80. Só se falava na abertura política a liberdade parecia ter chegado para ficar. Ainda se comemoravam o fim do ato inconstitucional número cinco e a sanção da anistia no final da década passada. Um acontecimento trágico, porém, veio abalar o processo de democratização do país. No dia trinta de abril de 1981, duas bombas explodiram dentro de um carro no estacionamento do Rio centro (RJ), durante um show promovido pelo Centro Brasil Democrático, apoiado pelo Partido Comunista Brasileiro. Foi o mais grave em uma seqüência de ataques, até então, dirigidos a bancas de jornal que vendiam publicações de esquerda. Ainda assim haviam mais espaço para quem quisesse mostrar suas idéias. A censura permanecia, mas não era tão pesada. Pelo menos era o que os roqueiros que fundavam suas bandas no underground, sonhando em expor ao público suas idéias contestadoras. Aos poucos, o rock deixava de engatinhar e se apoiava nas próprias pernas. Era preciso dar um fim a discriminação sofrida pelos roqueiros dos anos 70 e criar uma alternativa para os monstros sagradas da MPB (Caetano Veloso, Chico Buarque, etc.) E para as cantoras (Simmone, Maria Betânia, etc.) Que dominavam a programações das rádios. Antes da explosão, porém, havia mais alguns caminhos a serem percorridos. Com apenas dois anos de atraso, o movimento punk havia chegado a São Paulo em 1987. Mas no início, resumia-se a pequenas gangues de adolecentes que imitavam a roupa e as atitudes dos punks ingleses, mas não a música. Na Inglaterra, os jovens haviam começado a exibir seu descontentamento com os dinossauros do rock progressivo em 1975. Eles queriam uma música que retesse seu dia-a-dia e que pudesse ser tocada por qualquer um – e não por instrumentais virtuosos. Resultado o punk music, um rock de três acordes, rápido, cru e agressivo. Grupos como Sex Pistols e The Clash serviriam de inspiração para as primeiras bandas punks brasileiras que pipocavam em São Paulo e Brasília nos idos de 1978. Tudo ainda acontecia, porém, no underground, onde os grupos como AI-5, Lixomania ou Restos de Nada apresentavam-se para os iniciados. Em 1982, o público, final

  28. Caroline Martins
    16/05/2012

    Caroline Martins
    Turma:1 ano Info A

    MOVIMENTO PUNK A contestação contra o sistema de coisas tornou forma ideológica através do Punk. Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo à moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas (em oposição ao consumismo), jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK. Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de facismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres. Em palavras mais claras, autogestão seria a organização dos povos sem fronteiras nem lideranças autoritárias e partidárias, com plena igualdade, onde todos participariam da resolução dos problemas sociais. O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…

    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…
    Movimento Punk No Brasil

    Novos ares tomaram conta do país no início da década de 80. Só se falava na abertura política a liberdade parecia ter chegado para ficar. Ainda se comemoravam o fim do ato inconstitucional número cinco e a sanção da anistia no final da década passada. Um acontecimento trágico, porém, veio abalar o processo de democratização do país. No dia trinta de abril de 1981, duas bombas explodiram dentro de um carro no estacionamento do Rio centro (RJ), durante um show promovido pelo Centro Brasil Democrático, apoiado pelo Partido Comunista Brasileiro. Foi o mais grave em uma seqüência de ataques, até então, dirigidos a bancas de jornal que vendiam publicações de esquerda. Ainda assim haviam mais espaço para quem quisesse mostrar suas idéias. A censura permanecia, mas não era tão pesada. Pelo menos era o que os roqueiros que fundavam suas bandas no underground, sonhando em expor ao público suas idéias contestadoras. Aos poucos, o rock deixava de engatinhar e se apoiava nas próprias pernas. Era preciso dar um fim a discriminação sofrida pelos roqueiros dos anos 70 e criar uma alternativa para os monstros sagradas da MPB (Caetano Veloso, Chico Buarque, etc.) E para as cantoras (Simmone, Maria Betânia, etc.) Que dominavam a programações das rádios. Antes da explosão, porém, havia mais alguns caminhos a serem percorridos. Com apenas dois anos de atraso, o movimento punk havia chegado a São Paulo em 1987. Mas no início, resumia-se a pequenas gangues de adolecentes que imitavam a roupa e as atitudes dos punks ingleses, mas não a música. Na Inglaterra, os jovens haviam começado a exibir seu descontentamento com os dinossauros do rock progressivo em 1975. Eles queriam uma música que retesse seu dia-a-dia e que pudesse ser tocada por qualquer um – e não por instrumentais virtuosos. Resultado o punk music, um rock de três acordes, rápido, cru e agressivo. Grupos como Sex Pistols e The Clash serviriam de inspiração para as primeiras bandas punks brasileiras que pipocavam em São Paulo e Brasília nos idos de 1978. Tudo ainda acontecia, porém, no underground, onde os grupos como AI-5, Lixomania ou Restos de Nada apresentavam-se para os iniciados. Em 1982, o público, final

  29. Alaíssa Taís Boza
    16/05/2012

    Alaissa Tais Boza
    Turma: 1 ano Info A

    Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres.
    Atualmente o movimento atua com outros oprimidos grupos como: homossexuais, por achar que todos têm o direito de opção sexual sem ser discriminado; grupos de negros, feministas e outros grupos de atividades alternativas e libertárias. Também mantém ligação com outros punks do Brasil e mundo, levando a cultura internacionalista, não patriota.

  30. Rhanderis Lisboa
    16/05/2012

    1ºano -Info A nº31

    O Movimento Punk tem um modo de se expressar diferente da maioria da sociedade. Contendo nesse gosto religião, vestuario,fala,penteados,dança .Por isso são muito discriminados pela maioria das pessoas pois elas não entendem este jeito de se exp
    ressar.

    A cultura punk, segundo esta definição, pode então ser entendida como costumes, tradições e ideologias de uma organização ou grupo social. Apesar de atualmente o conceito movimento punk ser a interpretação mais popular de cultura punk, nem todos indivíduos ligados a esta cultura são membros de um grupo ou movimento. Um grande número de punks definem o termo punk como uma manifestação fundamentalmente cultural e ideologicamente independente, cujo aspecto revolucionário se baseia na subversão não-coerciva dos costumes do dia-a-dia sem, no entanto, se apegar a um objetivo preciso ou a um desejo de aceitação por um grupo de pessoas, representando uma postura distinta do caráter politicamente organizado e definido do movimento punk e de seu respectivo interesse na preservação da tradição punk em sua forma original ou considerada adequada.

  31. victor felipe
    17/05/2012

    A cultura punk são estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo a autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento seus estilo unico. Expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação.

  32. Davi Mendes,1º Agro II
    18/05/2012

    Cultura punk: Os estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo o princípio de autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, ocinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. Surge dentro do contexto da contracultura, como reação à não-violência dos hippies e a um certo otimismo daqueles.
    Movimento Punk: Essa expressão é usada para definir o novo sentido do conceito de cultura punk, que é definir sua transformação em tribo urbana, substituindo uma concepção abrangente e pouco definida da atitude individual e fundamentalmente cultural pelo conceito de movimento social propriamente dito: a aceitação pelo indivíduo de uma ideologia, comportamento e postura supostos comum a todos membros do movimento punk ou da ramificação a que ele pertence. O movimento punk é uma forma mais ou menos organizada e unificada, com o intuito de alcançar objetivos, seja a revolução política, almejada de forma diferente pelos vários subgrupos do movimento, seja a preservação e resistência da tradição punk, como forma cultural deliberadamente marginal e alternativa à cultura tradicional vigente na sociedade ou como manifestação de segregação e auto-afirmação por gangues de rua. A cultura punk, segundo esta definição, pode então ser entendida como costumes, tradições e ideologias de uma organização ou grupo socia

  33. gabriel santos 1agro 3
    19/05/2012

    os estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo o princípio de autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: oestilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. Surge dentro do contexto da contracultura, como reação à não-violência dos hippies e a um certo otimismo daqueles.

  34. Liliane Lopes dos Santos
    20/05/2012

    Liliane Lopes- 1 ano Info-2
    Por se assemelhar em diversos aspectos com o anarquismo (a principio o movimento punk era apolítico), punks e anarquistas passaram a colaborar entre si e muitas vezes participando das ações.
    Passaram então a existir muitos punks que também eram realmente anarquistas, e posteriormente surgiu o anarcopunk, este ganhou um novo rumo com redirecionamento a uma nova militância política, com discursos e ações mais ativas, opondo-se à mídia tradicional, ao Estado, às instituições religiosas e grandes corporações capitalistas.
    Como a maior parte dos movimentos populares, o movimento punk tem quase tantas nuances quanto o número de adeptos, mas em geral sustentam valores como anti-machismo, anti-homofobia, anti-fascismo, amor livre, anti-lideranças, liberdade individual, autodidatismo, iconoclastia e cosmopolismo.
    A outra vertente, talvez a mais tradicional ou original do Brasil, são as gangues, que estiveram presentes desde o começo deste movimento, principalmente em São Paulo, onde existem até hoje. São famosas pelo uso da violência e união de seus integrantes, geralmente andam em grupos não tão numerosos. Chegam a ser mais de 10 facções em São Paulo, sendo as principais só quatro delas, que são originais do começo do movimento e talvez as mais respeitadas.

    Eu acho que a maneira com que os punks agem e um jeito deles protestarem e mostrarem suas opiniões acreditando ou não em Deus, isso não nos faz melhor do que míngüem afinal todos tem seu jeito de agir, pensar e devemos respeitar a maneira de ser dessas pessoas.

  35. Liliane Lopes dos Santos
    20/05/2012

    Liliane Lopes-1 ano Info2

    A cultura punk teve ideias apartidárias e a liberdade para acreditar ou não em um deus ou religião qualquer. Porém, por causa do tempo de existência, seu caráter amplo ocorreu distorções de todas as formas, em diversos países, dando ao movimento punk uma cara parecida, mas totalmente particularizada em cada país.
    Por se assemelhar em diversos aspectos com o anarquismo (a principio o movimento punk era apolítico), punks e anarquistas passaram a colaborar entre si e muitas vezes participando das ações.
    Passaram então a existir muitos punks que também eram realmente anarquistas, e posteriormente surgiu o anarcopunk, este ganhou um novo rumo com redirecionamento a uma nova militância política, com discursos e ações mais ativas, opondo-se à mídia tradicional, ao Estado, às instituições religiosas e grandes corporações capitalistas.
    Como a maior parte dos movimentos populares, o movimento punk tem quase tantas nuances quanto o número de adeptos, mas em geral sustentam valores como anti-machismo, anti-homofobia, anti-fascismo, amor livre, anti-lideranças, liberdade individual, autodidatismo, iconoclastia e cosmopolismo.
    A outra vertente, talvez a mais tradicional ou original do Brasil, são as gangues, que estiveram presentes desde o começo deste movimento, principalmente em São Paulo, onde existem até hoje. São famosas pelo uso da violência e união de seus integrantes, geralmente andam em grupos não tão numerosos. Chegam a ser mais de 10 facções em São Paulo, sendo as principais só quatro delas, que são originais do começo do movimento e talvez as mais respeitadas.

    Eu acho que a maneira com que os punks agem e um jeito deles protestarem e mostrarem suas opiniões acreditando ou não em Deus, isso não nos faz melhor do que míngüem afinal todos tem seu jeito de agir, pensar e devemos respeitar a maneira de ser dessas pessoas.

  36. Liliane Lopes
    20/05/2012

    Liliane Lopes-1 ano Info2
    A cultura punk teve ideias apartidárias e a liberdade para acreditar ou não em um deus ou religião qualquer. Porém, por causa do tempo de existência, seu caráter amplo ocorreu distorções de todas as formas, em diversos países, dando ao movimento punk uma cara parecida, mas totalmente particularizada em cada país.
    Por se assemelhar em diversos aspectos com o anarquismo (a principio o movimento punk era apolítico), punks e anarquistas passaram a colaborar entre si e muitas vezes participando de ações.
    Passaram então a existir muitos punks que também eram realmente anarquistas, e posteriormente surgiu o anarcopunk, este ganhou um novo rumo com redirecionamento a uma nova militância política, com discursos e ações mais ativas, opondo-se à mídia tradicional, ao Estado, às instituições religiosas e grandes corporações capitalistas.
    Como a maior parte dos movimentos populares, o movimento punk tem quase tantas nuances quanto o número de adeptos, mas em geral sustentam valores como anti-machismo, anti-homofobia, anti-fascismo, amor livre, anti-lideranças, liberdade individual, autodidatismo, iconoclastia e cosmopolismo.
    A outra vertente, talvez a mais tradicional ou original do Brasil, são as gangues, que estiveram presentes desde o começo deste movimento, principalmente em São Paulo, onde existem até hoje. São famosas pelo uso da violência e união de seus integrantes, geralmente andam em grupos não tão numerosos. Chegam a ser mais de 10 facções em São Paulo, sendo as principais só quatro delas, que são originais do começo do movimento e talvez as mais respeitadas.

    Eu acho que a maneira com que os punks agem e um jeito deles protestarem e mostrarem suas opiniões acreditando ou não em Deus, isso não nos faz melhor do que míngüem afinal todos tem seu jeito de agir, pensar e devemos respeitar a maneira de ser dessas pessoas.

  37. Franciny e Mayse
    20/05/2012

    A cultura punk é formada por todos os estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo o princípio de autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência tosca e agressiva, a simplicidade e a subversão da cultura. Entre os principais elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento,expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. A partir do início da década de 1970 o conceito de cultura punk adquiriu novo sentido com a expressão movimento punk, que passou a ser usada para definir sua transformação em tribo urbana, substituindo uma concepção abrangente e pouco definida da atitude individual e fundamentalmente cultural pelo conceito de movimento social propriamente dito: a aceitação pelo indivíduo de uma ideologia, comportamento e postura supostos comum a todos membros do movimento punk ou da gangue ou ramificação que ele pertence. O movimento punk é uma forma mais ou menos organizada e unificada, com o intuito de alcançar objetivos -seja a revolução política, almejada de forma diferente pelos vários subgrupos do movimento, seja a preservação e resistência da tradição punk, como forma cultural deliberadamente marginal e alternativa à cultura tradicional vigente na sociedade ou como manifestação de segregação e auto-afirmação por gangues de rua. A cultura punk, segundo esta definição, pode então ser entendida como costumes, tradições e ideologias de uma organização ou grupo social.
    O primeiro aspecto cultural punk desenvolvido foi o estilo musical. A música punk desde suas origem até os dias de hoje passou por diversas mudanças e sub-divisões, englobando características que vão do pop-rock irônico e politicamente indiferente ao ruidoso discurso político panfletário. Apesar disso, nos diversos estilos de música punk o caráter anti-social e/ou socialmente crítico é bastante recorrente e a ausência destas características é vista por alguns como justificativa para o não-reconhecimento de uma banda como sendo do estilo punk. Estilos muito distintos do punk-rock também são desconsiderados com freqüência.
    O estilo punk pode ser reconhecido pela combinação de alguns elementos considerados típicos (alfinetes, patches, lenços no pescoço ou à mostra no bolso traseiro da calça, calças jeans rasgadas, calças pretas justas, jaquetas de couro com rebites e mensagens inscritas nas costas, coturnos, tênis converse, correntes, corte de cabelo moicano,(colorido ou espetado, etc) ou espetado por inteiro (dos lados, atrás e em cima) e em alguns casos lapis ou sombra no olho, sendo esta combinação aleatória ou de acordo com combinações comuns à certos sub-gêneros punk, ou ainda o reconhecimento pode ser pelo uso de uma aparência que seja desleixada, “artesanalmente” adaptada e que carregue alguma sugestão ou similaridade com o punk sem necessariamente utilizar os itens tradicionais do estilo. A moda punk, em sua maioria, é deliberadamente contrastante com a moda vigente e por vezes apresenta elementos contestadores ou ofensivos aos valores aceitos socialmente -no entanto um número considerável de punks e alguns sub-gêneros apresentam uma aparência menos chamativa .
    Desde o seu início, o Punk teve ideias apartidárias e a liberdade para acreditar ou não em um deus ou religião qualquer. Porém, por causa do tempo de existência, seu caráter cosmopolita e amplo, ocorreram distorções de todas as formas, em diversos países, dando ao movimento Punk uma cara parecida mas totalmente particularizada em cada país.

  38. Mateus Duarte Mendes Gonçalves
    20/05/2012

    Punk : Denomina-se cultura punk os estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo o princípio de autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: oestilo musical, a moda, o design, as ates plásticas o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. Surge dentro do contexto da contracultura, como reação à não-violência dos hippies e a um certo otimismo daqueles. O punk como movimento social :

    A partir do fim da década de 1970 o conceito de cultura punk adquiriu novo sentido com a expressão Movimento Punk, que passou a ser usada para definir sua transformação em tribo urbana, substituindo uma concepção abrangente e pouco definida da atitude individual e fundamentalmente cultural pelo conceito de movimento socialpropriamente dito: a aceitação pelo indivíduo de uma ideologia, comportamento e postura supostos comum a todos membros do movimento punk ou da ramificação/submovimento a que ele pertence. O movimento punk é uma forma mais ou menos organizada e unificada, com o intuito de alcançar objetivos — seja a revolução política, almejada de forma diferente pelos vários subgrupos do movimento, seja a preservação e resistência da tradição punk, como forma cultural deliberadamente marginal e alternativa à cultura tradicional vigente na sociedade ou como manifestação de segregação e auto-afirmação por gangues de rua. A cultura punk, segundo esta definição, pode então ser entendida como costumes, tradições e ideologias de uma organização ou grupo social. Apesar de atualmente o conceito movimento punk ser a interpretação mais popular de cultura punk, nem todos indivíduos ligados a esta cultura são membros de um grupo ou movimento. Um grande número de punks definem o termo “punk” como uma manifestação fundamentalmente cultural e ideologicamente independente, cujo aspecto revolucionário se baseia na subversão não-coerciva dos costumes do dia-a-dia sem, no entanto, se apegar a um objetivo preciso ou a um desejo de aceitação por um grupo de pessoas, representando uma postura distinta do caráter politicamente organizado e definido do movimento punk e de seu respectivo interesse na preservação da tradição punk em sua forma original ou considerada adequada. Esta diferença de postura entre o movimento punk e outros adeptos da cultura é responsável por constantes conflitos e discussões, violentos ou não, que ocorrem em encontros destes indivíduos em ruas e festivais, ou através de meios de comunicação alternativos como revistas, fanzines e fóruns.

    Origem : Originalmente o punk surge por volta de 1974 como uma manifestação cultural juvenil semelhante aos da década de 1950e 1960: era caracterizado quase que totalmente por um estilo baseado em música, moda e comportamento. A primeira manifestação genuinamente punk, no entanto, o estilo punk rock, surge primeiro nos Estados Unidos com a banda The Ramones por volta de 1974 e é caracterizada por um revivalismo da cultura rock and roll (músicas curtas, simples e dançantes) e do estilo rocker/greaser (jaquetas de couro estilo motociclista, camiseta branca, calça jeans, tênis e o culto à juventude, diversão e rebeldia).

    Mateus Duarte Mendes Gonçalves
    1º ano – Info B

  39. Mateus Duarte Mendes Gonçalves
    20/05/2012

    Punk : Denomina-se cultura punk os estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo o princípio de autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: oestilo musical, a moda, o design, as ates plásticas o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. Surge dentro do contexto da contracultura, como reação à não-violência dos hippies e a um certo otimismo daqueles. O punk como movimento social :

    A partir do fim da década de 1970 o conceito de cultura punk adquiriu novo sentido com a expressão Movimento Punk, que passou a ser usada para definir sua transformação em tribo urbana, substituindo uma concepção abrangente e pouco definida da atitude individual e fundamentalmente cultural pelo conceito de movimento socialpropriamente dito: a aceitação pelo indivíduo de uma ideologia, comportamento e postura supostos comum a todos membros do movimento punk ou da ramificação/submovimento a que ele pertence. O movimento punk é uma forma mais ou menos organizada e unificada, com o intuito de alcançar objetivos — seja a revolução política, almejada de forma diferente pelos vários subgrupos do movimento, seja a preservação e resistência da tradição punk, como forma cultural deliberadamente marginal e alternativa à cultura tradicional vigente na sociedade ou como manifestação de segregação e auto-afirmação por gangues de rua. A cultura punk, segundo esta definição, pode então ser entendida como costumes, tradições e ideologias de uma organização ou grupo social. Apesar de atualmente o conceito movimento punk ser a interpretação mais popular de cultura punk, nem todos indivíduos ligados a esta cultura são membros de um grupo ou movimento. Um grande número de punks definem o termo “punk” como uma manifestação fundamentalmente cultural e ideologicamente independente, cujo aspecto revolucionário se baseia na subversão não-coerciva dos costumes do dia-a-dia sem, no entanto, se apegar a um objetivo preciso ou a um desejo de aceitação por um grupo de pessoas, representando uma postura distinta do caráter politicamente organizado e definido do movimento punk e de seu respectivo interesse na preservação da tradição punk em sua forma original ou considerada adequada. Esta diferença de postura entre o movimento punk e outros adeptos da cultura é responsável por constantes conflitos e discussões, violentos ou não, que ocorrem em encontros destes indivíduos em ruas e festivais, ou através de meios de comunicação alternativos como revistas, fanzines e fóruns.

    Origem : Originalmente o punk surge por volta de 1974 como uma manifestação cultural juvenil semelhante aos da década de 1950e 1960: era caracterizado quase que totalmente por um estilo baseado em música, moda e comportamento. A primeira manifestação genuinamente punk, no entanto, o estilo punk rock, surge primeiro nos Estados Unidos com a banda The Ramones por volta de 1974 e é caracterizada por um revivalismo da cultura rock and roll (músicas curtas, simples e dançantes) e do estilo rocker/greaser (jaquetas de couro estilo motociclista, camiseta branca, calça jeans, tênis e o culto à juventude, diversão e rebeldia).

    Mateus Duarte Mendes Gonçalves
    1ºinfo- B

  40. thiago
    20/05/2012

    Thiago C. Estrela
    Info 02.
    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…
    O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…

  41. thiago
    20/05/2012

    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…
    O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…

    Thiago C. Estrela T: Informatica 02 nº:35

  42. A contestação contra o sistema de coisas tornou forma ideológica através do Punk.

    Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo à moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas (em oposição ao consumismo), jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK.
    Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de fascismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres.
    Atualmente o movimento atua com outros oprimidos grupos como: homossexuais, por achar que todos têm o direito de opção sexual sem ser discriminado; grupos de negros, feministas e outros grupos de atividades alternativas e libertárias. Também mantém ligação com outros punks do Brasil e mundo, levando a cultura internacionalista, não patriota.
    na minha opinião as nossas diferenças dos punk não nos torna nem melhores nem piores que os outros,primeiro que ninguem é melhor que ninguem,segundo que os pank se expressa de modo diferente e eles procuram acabar de vez com qualquer tipo de preconceito.
    Algumas pessoas são discriminadas pelos seus atos e valores morais por causa do seu jeito e aparência e também por terem opiniões abertas a todos. Também tem outras que já são guardadas e tem uma aparência bem vista entre a população. Pessoas assim sofrem também agressões fisicas e psicológica e não revelam suas opiniões com medo…
    Na minha opinião nossas diferenças com os punks não mudam a sociedade, pois cada um tem seu gosto e ninguém é mais que ninguém e todos deveriam aprender a conviver com os outros sem conflitos…

    Alexandre Pires de Souza
    1ºano- Info B

  43. keila patricia
    20/05/2012

    MOVIMENTO PUNK A contestação contra o sistema de coisas tornou forma ideológica através do Punk. Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo à moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas (em oposição ao consumismo), jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK. Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de facismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres. Em palavras mais claras, autogestão seria a organização dos povos sem fronteiras nem lideranças autoritárias e partidárias, com plena igualdade, onde todos participariam da resolução dos problemas sociais. O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…

    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…
    Movimento Punk No Brasil

    Novos ares tomaram conta do país no início da década de 80. Só se falava na abertura política a liberdade parecia ter chegado para ficar. Ainda se comemoravam o fim do ato inconstitucional número cinco e a sanção da anistia no final da década passada. Um acontecimento trágico, porém, veio abalar o processo de democratização do país

  44. thiago C. Estrela
    20/05/2012

    THIAGO C. ESTRELA T: INFORMATICA 02 Nº: 35

    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…
    O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…
    PUNK
    Uma pessoa inteligente, que sempre viveu numa família rica não é capaz de sentir realmente uma situação que não seja a sua realidade. Nunca saberá realmente o que é sentir o desespero de estar num ambiente beirando o crime, a fome, o desemprego, a falta de perspectiva, uma fila de hospital, ou não ter mais nada a não ser o básico para permanecer vivo.
    Sob este prisma pode-se esquecer em algum lugar imaginário e fora de alcance a educação, para preferir a sobrevivência. Assim, as crianças perdem rapidamente a inocência e o que predomina pode ser a revolta ou a alienação. A alienação povoa a maioria.
    O punk se opõe e odeia todo tipo de poder ou autoritarismo, tudo que oprime a liberdade de se expressar ou de pensar do ser humano, por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito, exploração. E essa sociedade é claro que só pode ser a plenitude de uma sociedade anarquista.
    O punk é anarquista por essência, é libertário por convicção e não por conveniência, por isso ele anarquiza o cotidiano e cotidianiza o anarquismo. Estão todos juntos por uma mesma causa, mas cada um é anarquista da sua forma, do seu jeito, por isso cada um tem seus métodos, na maioria das vezes a “ação direta”, mas o que é mais importante é que se faça valer o seu lema “do it yourself” (faça você mesmo), por isso o punk além de altruísmo, significa também “responsabilidade”.
    Uma de suas formas de protesto, de diversão, e de principalmente, divulgar a sua ideologia, é através também da música, “O Hardcore”, um som simples e direto, que abordam letras coerentes com temas políticos, envolvendo a “realidade incógnita”, é um som incomercializável, a palavra “fama” é estranha à essência do hardcore, pois não tem afinidade alguma em produzir lucro. “A dança”, é o pôgo a qual expelem sua angústia, o seu sentimento, de emoção e repúdio.

    Pois ele ama o seu ódio e o amor, a coragem e o ódio juntos são mais fortes do que a hipocrisia e a ganância, mas o seu coração é muito forte e por isso resistiu até o fim, pois ele faz acontecer!

  45. thiago C. Estrela
    20/05/2012

    THIAGO C. ESTRELA T: INFORMATICA 02 Nº: 35

    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…

    O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…

    PUNK
    Uma pessoa inteligente, que sempre viveu numa família rica não é capaz de sentir realmente uma situação que não seja a sua realidade. Nunca saberá realmente o que é sentir o desespero de estar num ambiente beirando o crime, a fome, o desemprego, a falta de perspectiva, uma fila de hospital, ou não ter mais nada a não ser o básico para permanecer vivo.
    Sob este prisma pode-se esquecer em algum lugar imaginário e fora de alcance a educação, para preferir a sobrevivência. Assim, as crianças perdem rapidamente a inocência e o que predomina pode ser a revolta ou a alienação. A alienação povoa a maioria.

    O punk se opõe e odeia todo tipo de poder ou autoritarismo, tudo que oprime a liberdade de se expressar ou de pensar do ser humano, por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito, exploração. E essa sociedade é claro que só pode ser a plenitude de uma sociedade anarquista.

    O punk é anarquista por essência, é libertário por convicção e não por conveniência, por isso ele anarquiza o cotidiano e cotidianiza o anarquismo. Estão todos juntos por uma mesma causa, mas cada um é anarquista da sua forma, do seu jeito, por isso cada um tem seus métodos, na maioria das vezes a “ação direta”, mas o que é mais importante é que se faça valer o seu lema “do it yourself” (faça você mesmo), por isso o punk além de altruísmo, significa também “responsabilidade”.
    Uma de suas formas de protesto, de diversão, e de principalmente, divulgar a sua ideologia, é através também da música, “O Hardcore”, um som simples e direto, que abordam letras coerentes com temas políticos, envolvendo a “realidade incógnita”, é um som incomercializável, a palavra “fama” é estranha à essência do hardcore, pois não tem afinidade alguma em produzir lucro. “A dança”, é o pôgo a qual expelem sua angústia, o seu sentimento, de emoção e repúdio.

    Pois ele ama o seu ódio e o amor, a coragem e o ódio juntos são mais fortes do que a hipocrisia e a ganância, mas o seu coração é muito forte e por isso resistiu até o fim, pois ele faz acontecer!

  46. Thiago Cordeiro Estrela n°35 Info II
    20/05/2012

    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…
    O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…
    PUNK
    Uma pessoa inteligente, que sempre viveu numa família rica não é capaz de sentir realmente uma situação que não seja a sua realidade. Nunca saberá realmente o que é sentir o desespero de estar num ambiente beirando o crime, a fome, o desemprego, a falta de perspectiva, uma fila de hospital, ou não ter mais nada a não ser o básico para permanecer vivo.
    Sob este prisma pode-se esquecer em algum lugar imaginário e fora de alcance a educação, para preferir a sobrevivência. Assim, as crianças perdem rapidamente a inocência e o que predomina pode ser a revolta ou a alienação. A alienação povoa a maioria.
    O punk se opõe e odeia todo tipo de poder ou autoritarismo, tudo que oprime a liberdade de se expressar ou de pensar do ser humano, por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito, exploração. E essa sociedade é claro que só pode ser a plenitude de uma sociedade anarquista.
    O punk é anarquista por essência, é libertário por convicção e não por conveniência, por isso ele anarquiza o cotidiano e cotidianiza o anarquismo. Estão todos juntos por uma mesma causa, mas cada um é anarquista da sua forma, do seu jeito, por isso cada um tem seus métodos, na maioria das vezes a “ação direta”, mas o que é mais importante é que se faça valer o seu lema “do it yourself” (faça você mesmo), por isso o punk além de altruísmo, significa também “responsabilidade”.
    Uma de suas formas de protesto, de diversão, e de principalmente, divulgar a sua ideologia, é através também da música, “O Hardcore”, um som simples e direto, que abordam letras coerentes com temas políticos, envolvendo a “realidade incógnita”, é um som incomercializável, a palavra “fama” é estranha à essência do hardcore, pois não tem afinidade alguma em produzir lucro. “A dança”, é o pôgo a qual expelem sua angústia, o seu sentimento, de emoção e repúdio.

    Pois ele ama o seu ódio e o amor, a coragem e o ódio juntos são mais fortes do que a hipocrisia e a ganância, mas o seu coração é muito forte e por isso resistiu até o fim, pois ele faz acontecer!

  47. thiago C. Estrela
    20/05/2012

    THIAGO C. ESTRELA T: INFORMATICA 02 Nº: 35

    Movimento Punk No Mundo

    Em meados da década de 70 o mundo se encontrava no auge da guerra fria, e uma Europa de pós-guerra, em constantes transformações sociais, se encontrava propicia para a formação de movimentos de transformações sociais, e foi lá, na Inglaterra, que surgiu um dos movimentos mais importantes deste século: O movimento Punk. Jovens, marginalizados pela sociedade, pobres e desempregados, começam a chocar a sociedade pelo seu modo agressivo de ser, de se vestir, e de agir. Tudo é contestação para os Punks, eles defendiam o Anarquismo e a liberdade individual, e manifestavam a sua rebeldia contra a hipocrisia, os privilégios, a sociedade conformista, as desigualdades sociais etc…
    O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…
    PUNK
    Uma pessoa inteligente, que sempre viveu numa família rica não é capaz de sentir realmente uma situação que não seja a sua realidade. Nunca saberá realmente o que é sentir o desespero de estar num ambiente beirando o crime, a fome, o desemprego, a falta de perspectiva, uma fila de hospital, ou não ter mais nada a não ser o básico para permanecer vivo.
    Sob este prisma pode-se esquecer em algum lugar imaginário e fora de alcance a educação, para preferir a sobrevivência. Assim, as crianças perdem rapidamente a inocência e o que predomina pode ser a revolta ou a alienação. A alienação povoa a maioria.
    O punk se opõe e odeia todo tipo de poder ou autoritarismo, tudo que oprime a liberdade de se expressar ou de pensar do ser humano, por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito, exploração. E essa sociedade é claro que só pode ser a plenitude de uma sociedade anarquista.
    O punk é anarquista por essência, é libertário por convicção e não por conveniência, por isso ele anarquiza o cotidiano e cotidianiza o anarquismo. Estão todos juntos por uma mesma causa, mas cada um é anarquista da sua forma, do seu jeito, por isso cada um tem seus métodos, na maioria das vezes a “ação direta”, mas o que é mais importante é que se faça valer o seu lema “do it yourself” (faça você mesmo), por isso o punk além de altruísmo, significa também “responsabilidade”.
    Uma de suas formas de protesto, de diversão, e de principalmente, divulgar a sua ideologia, é através também da música, “O Hardcore”, um som simples e direto, que abordam letras coerentes com temas políticos, envolvendo a “realidade incógnita”, é um som incomercializável, a palavra “fama” é estranha à essência do hardcore, pois não tem afinidade alguma em produzir lucro. “A dança”, é o pôgo a qual expelem sua angústia, o seu sentimento, de emoção e repúdio.
    Pois ele ama o seu ódio e o amor, a coragem e o ódio juntos são mais fortes do que a hipocrisia e a ganância, mas o seu coração é muito forte e por isso resistiu até o fim, pois ele faz acontecer!

  48. Millena Vieira 1° agro III
    20/05/2012

    O punk se opõe e odeia todo tipo de poder ou autoritarismo, tudo que oprime a liberdade de se expressar ou de pensar do ser humano, por isso eles dedicam a sua vida na luta por uma nova sociedade livre de qualquer preconceito, exploração. E essa sociedade é claro que só pode ser a plenitude de uma sociedade anarquista.
    O punk é anarquista por essência, é libertário por convicção e não por conveniência, por isso ele anarquiza o cotidiano e cotidianiza o anarquismo. Estão todos juntos por uma mesma causa, mas cada um é anarquista da sua forma, do seu jeito, por isso cada um tem seus métodos, na maioria das vezes a “ação direta”, mas o que é mais importante é que se faça valer o seu lema “do it yourself” (faça você mesmo), por isso o punk além de altruísmo, significa também “responsabilidade”.

  49. ana paula pereira da silva 1°b
    20/05/2012

    A partir do fim da década de 1970 o conceito de cultura punk adquiriu novo sentido com a expressão Movimento Punk, que passou a ser usada para definir sua transformação em tribo urbana, substituindo uma concepção abrangente e pouco definida da atitude individual e fundamentalmente cultural pelo conceito de movimento social propriamente dito: a aceitação pelo indivíduo de uma ideologia, comportamento e postura supostos comum a todos membros do movimento punk ou da ramificação/submovimento a que ele pertence

  50. murilo e samuel 1°agro3
    20/05/2012

    o surgimento dessa moda foi no estado unidos depois passou para a inglaterra e logo em seguida chegou ao brasil.O movimento punk é uma forma mais ou menos organizada e unificada, com o intuito de alcançar objetivos — seja a revolução política, almejada de forma diferente pelos vários subgrupos do movimento, seja a preservação e resistência da tradição punk, como forma cultural deliberadamente marginal e alternativa à cultura tradicional vigente na sociedade ou como manifestação de segregação e auto-afirmação por gangues de rua

  51. Brunno Gonçalves Brunno
    21/05/2012

    O movimento Pank e aquelas pessoas que gosta de guerra se vestem ne um estilo bem deferente e foi criados o estilo Pank foi para acaba os Ripes.

  52. Brunno Gonçalves Brunno
    21/05/2012

    A primeira manifestação genuinamente punk, no entanto, o estilo punk rock, surge primeiro nos Estados Unidos com a banda The Ramones por volta de 1974 e é caracterizada por um revivalismo da cultura rock and roll (músicas curtas, simples e dançantes) e do estilo rocker/greaser (jaquetas de couro estilo motociclista, camiseta branca, calça jeans, tênis e o culto à juventude, diversão e rebeldia).

  53. igor dos santos camargo 1° ano agro B
    21/05/2012

    Originalmente o punk surge por volta de 1974 como uma manifestação cultural juvenil semelhante aos da década de 1950 e 1960: era caracterizado quase que totalmente por um estilo baseado em música, moda e comportamento.
    cultura punk os estilos dentro da produção cultural que possuem certas características comuns àquelas ditas punk, como por exemplo o princípio de autonomia do faça-você-mesmo, o interesse pela aparência agressiva, a simplicidade, o sarcasmo niilista e a subversão da cultura. Entre os elementos culturais punk estão: o estilo musical, a moda, o design, as artes plásticas, o cinema, a poesia, e também o comportamento (podendo incluir ou não princípios éticos e políticos definidos), expressões linguísticas, símbolos e outros códigos de comunicação. Surge dentro do contexto da contracultura, como reação à não-violência dos hippies e a um certo otimismo daqueles.

  54. igor dos santos camargo 1° ano agro B
    21/05/2012

    MOVIMENTO PUNK A contestação contra o sistema de coisas tornou forma ideológica através do Punk. Com o visual fugindo dos padrões que a sociedade impõe através do modismo, mostrando sua revolta pelo corte de cabelo à moicano (ou cabelos espetados) coloridos, roupas velhas surradas (em oposição ao consumismo), jaquetas arrebitadas com frases de indignação às injustiças do Estado repressor e a atitude subversiva, se mostra o PUNK. Esse movimento não fica calado, acomodado, como a maioria dos jovens e o povo em geral, fazendo manifestações, panfletagens, boicotes, passeatas: mostrando sua cultura e seu repúdio a todas as formas de facismo, nazismo e racismo, autoritarismo, sexismo e comando; vendo como solução a autogestão (ou seja anarquia) para a libertação dos povos, raças, homens e mulheres. Em palavras mais claras, autogestão seria a organização dos povos sem fronteiras nem lideranças autoritárias e partidárias, com plena igualdade, onde todos participariam da resolução dos problemas sociais. O punk também mostra sua cultura anticapitalista pelo FANZINE (jornal político-alternativo), pela música HARDCORE, som simples e direto, não comercializável, trazendo propostas políticas, seu comportamneto livre e objetivo, fazendo com que o Punk NÃO SEJA UMA MODA e sim um modo de vida e pensamento. Saiba e conscientize-se que Punk não é bagunça, muito pelo contrário é um movimento cultural de luta e ação direta, de liberdade de expressão e de comportamento. O movimento que surgiu a quase duas décadas, como contestação, evoluiu e evolui até hoje…

  55. marcus vinnicius gomes 1° agro B
    21/05/2012

    PUNK
    Uma pessoa inteligente, que sempre viveu numa família rica não é capaz de sentir realmente uma situação que não seja a sua realidade. Nunca saberá realmente o que é sentir o desespero de estar num ambiente beirando o crime, a fome, o desemprego, a falta de perspectiva, uma fila de hospital, ou não ter mais nada a não ser o básico para permanecer vivo.
    Sob este prisma pode-se esquecer em algum lugar imaginário e fora de alcance a educação, para preferir a sobrevivência. Assim, as crianças perdem rapidamente a inocência e o que predomina pode ser a revolta ou a alienação. A alienação povoa a maioria.

  56. atila mendes da silva
    21/05/2012

    A palavra Punk não surgiu nos anos 70, como muitos imaginam. William Shakespeare já a usava para qualificar prostitutas. Séculos depois, foi usada para caracterizar sadomasoquistas. O termo também era apropriado para tratar vagabundos e mendigos em Nova York. De qualquer maneira, foi com o surgimento do movimento punk que ela passou a traduzir a anarquia e a subversão de valores morais.
    Influenciados pelo pop rock de suas infâncias, como Beach Boys, Rolling Stones, Beatles, entre outros, e pelo rock mais pesado, surgiram bandas como The Stooges (1967) e New York Dolls (1971), que tinham a intenção de criar músicas simples e sem grandes produções, diferentes das que dominavam o cenário musical da época. Iggy Pop, que foi líder da banda The Stooges, também foi um ícone que fez parte dessas raízes. Em março de 1974, o trio Joey, Dee Dee e Johnny tocou pela primeira vez nos Estados Unidos. Eles se intitulavam Ramones e abriram as portas para o que conhecemos hoje como Punk Rock.

  57. miguel rodrigo chaves rodrigues 1 ano agro b
    21/05/2012

    Hoje o movimento Punk está um pouco deturpado pela mídia. Ou seja, o capitalismo conseguiu vender até o movimento Punk. Mas ainda existem pessoas nos subterrâneos da civilização que acreditam em todo o ideal do movimento e montam bandas que fazem aquele som básico e panfletário tão apreciado pelos integrantes do movimento. Neste contexto recebo em minhas mãos o CD-Demo intitulado “Guerra Insana” da banda prudentina “Fall Out”. Os caras são jovens e acreditam realmente no que fazem. O que esperar do CD? Som tosco (creditado principalmente a qualidade da gravação), letras panfletárias, daquelas que acusam a tudo e a todos e, principalmente, muita energia. Temos que dar um enorme ponto positivo para o encarte do CD que é muito profissional e possuí todas as letras das músicas. Tenho que ressaltar que sou um grande fã do formado de CD-Demo por trazer a um preço razoável a música que não ouvimos nas rádios. Existem grandes bandas de rock no Brasil que nunca vão ter acesso a uma gravadora. Por isso se torna necessário à divulgação boca a boca destes grupos. Dentro desta categoria se encontra o Fall Out.

  58. MAX MENDES . 1 AGRO 3 Ñ; 22
    21/05/2012

    Faça uma pesquisa sobre esse movimento levando em conta o conceito de nossas crenças silenciosas, pelas quias acreditamos que a vida com outras pessoas nos faz semelhantes ou diferentes em decorrência de normas e valores morais, políticos, religiosos e artísticos, regras de conduta, finalidades da vida. hoje em dia o movimento punk esta muito alto por causa de bandas e muitas coisas locas como. AS roupas rasgadas as tatuagens os brincos e os cabelos e nas letras das musicas e muito doideiras e cheia de enrgia . e hoje o rock esta em todo lugar e rock nao mistura com religioes ,artistica e as regras sao liberadas para todos e eles nao tem religiao porque eles fas o paquito com o capeta , mas tem gente que respeita mas outras fasem ate manifestacoa .

Deixe uma resposta ou Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 02/05/2012 por em Filosofia.
%d blogueiros gostam disto: