Prof. Pedro Paulo – Tecnologia, Sociologi@ & Filosofi@

A Tecnologia como ferramenta a serviço da Educação

Filosofia – Capítulo 12 – Buscando a verdade

FILOSOFIA NAS ENTRELINHAS

Para Kant e para Husserl, o erro e a falsidade encontram-se no realismo, por supor que os conceitos e as significações se referem a realidade em si, independentemente do sujeito do conhecimento. Em outras palavras, para esses filósofos é a consciência que dá sentido às coisas. Explique o se entende por “erro” ou por “falsidade”, neste caso. Releia os conceitos do capítulo 12 par fundamentar sua resposta.

_________________________________________________________________________________________________

QUESTÕES

  1. Explique o que é dogmatismo?
  2. O que é atitude dogmática? Por que ela é conservadora?
  3. Quando se rompe a atitude dogmática?
  4. Dê um exemplo (tirado de sua vida pessoal, da literatura ou da tv) de estranhamento diante de alguma coisa ou de algum fato que parecia simples e natural.
  5. Qual a diferença entre atitude dogmática e atitude crítica?
  6. O que é a verdade segundo alétheia, veritas e emunah? Explique cada uma delas e, em seguida, identifique as diferenças entre elas.
  7.  O que é a concepção pragmática da verdade? O que é evidência? Por que a verdade a exige?
  8. Quais os principais pontos de concepções da verdade no Grande Racionalismo do XVII?
  9. Em que aspectos concordam os filósofos antigos e modernos no tocante à verdade?
  10. Que são juízos analíticos a priori e juízos sintéticos a priori?
  11. Quais as exigências para que um conhecimento seja verdadeiro?
  12. O que é a verdade para a filosofia idealista de Kant e Husserl?
  13. Explique brevemente a concepção pragmática da verdade.
  14. Explique brevemente as mudanças na concepção da verdade em decorrência de mudanças sociais e históricas.
  15.  Explique brevemente as mudanças na concepção da verdade em decorrência de mudanças internas à filosofia.
Anúncios

Sobre brito964

Nascido em Belo Horizonte - 44 anos. Pedagogo. Professor/Analista da Educação. Educação. Tecnologia. Aprendizagem em Ambientes Colaborativos. Casado. Arinos - MG.

11 comentários em “Filosofia – Capítulo 12 – Buscando a verdade

  1. karoline Faria Guimaraes
    14/05/2012

    1 INFOR 1.

    1.Que paralelos podemos estabelecer entre a personagem Neo, do filme Matrix, e o filósofo Sócrates?
    Porque ele era um pirata eletrônico, alguém capaz de invadir programas, decifrar códigos e mensagens, mas, sobretudo, porque ele também era um criador de programas de realidade virtual, um perito capaz de rivalizar com a própria Matrix. Por ter um poder semelhante ao da Matrix, Neo sempre desconfiou de que a realidade não era exatamente tal como se apresentava. Sempre teve dúvidas sobre a realidade percebida e, secretamente, questionava o que era a Matrix.
    2. Por que Sócrates é considerado o “patrono da filosofia”?
    Sócrates ,jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade, com as crenças inquestionadas de seus conterrâneos. Ele costumava dizer que era impelido por um espírito interior (como Morfeu instigando Neo) que o levava a desconfiar das aparências e procurar a realidade verdadeira das coisas.
    3. O que Platão quis representar no Mito da Caverna?
    Imaginemos, escreve Platão, uma caverna separada do mundo exterior por um alto muro. Entre esse muro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa alguma luz externa, deixando a caverna na obscuridade quase completa.
    4. Que são as nossas crenças costumeiras?
    Em nossa vida cotidiana, afirmamos, negamos, desejamos, aceitamos ou recusamos coisas, pessoas, situações. Fazemos perguntas, como “Que horas são?”, ou “Que dia é hoje?”. Dizemos frases, como “Ele está sonhando”, ou “Ela ficou maluca”. Fazemos afirmações, como “Onde há fumaça, há fogo”, ou “Não saia na chuva para não se resfriar”. Avaliamos coisas e pessoas, dizendo, por exemplo, “Esta casa é mais bonita do que a outra” e “Maria está mais jovem do que Glorinha”.
    5. Em que momento passamos da atitude costumeira à atitude filosófica?
    Quando o que era objeto de crença aparece como algo contraditório ou problemático e por isso se transforma em indagação ou interrogação, estamos passando da atitude costumeira à atitude filosófica.
    6. Quais as três principais perguntas que caracterizam a atitude filosófica?
    “O que é filosofia?” “O que é a liberdade?”. “O que é um valor?”,

  2. karoline Faria Guimaraes
    14/05/2012

    1.Que paralelos podemos estabelecer entre a personagem Neo, do filme Matrix, e o filósofo Sócrates?
    Porque ele era um pirata eletrônico, alguém capaz de invadir programas, decifrar códigos e mensagens, mas, sobretudo, porque ele também era um criador de programas de realidade virtual, um perito capaz de rivalizar com a própria Matrix. Por ter um poder semelhante ao da Matrix, Neo sempre desconfiou de que a realidade não era exatamente tal como se apresentava. Sempre teve dúvidas sobre a realidade percebida e, secretamente, questionava o que era a Matrix.
    2. Por que Sócrates é considerado o “patrono da filosofia”?
    Sócrates ,jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade, com as crenças inquestionadas de seus conterrâneos. Ele costumava dizer que era impelido por um espírito interior (como Morfeu instigando Neo) que o levava a desconfiar das aparências e procurar a realidade verdadeira das coisas.
    3. O que Platão quis representar no Mito da Caverna?
    Imaginemos, escreve Platão, uma caverna separada do mundo exterior por um alto muro. Entre esse muro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa alguma luz externa, deixando a caverna na obscuridade quase completa.
    4. Que são as nossas crenças costumeiras?
    Em nossa vida cotidiana, afirmamos, negamos, desejamos, aceitamos ou recusamos coisas, pessoas, situações. Fazemos perguntas, como “Que horas são?”, ou “Que dia é hoje?”. Dizemos frases, como “Ele está sonhando”, ou “Ela ficou maluca”. Fazemos afirmações, como “Onde há fumaça, há fogo”, ou “Não saia na chuva para não se resfriar”. Avaliamos coisas e pessoas, dizendo, por exemplo, “Esta casa é mais bonita do que a outra” e “Maria está mais jovem do que Glorinha”.
    5. Em que momento passamos da atitude costumeira à atitude filosófica?
    Quando o que era objeto de crença aparece como algo contraditório ou problemático e por isso se transforma em indagação ou interrogação, estamos passando da atitude costumeira à atitude filosófica.
    6. Quais as três principais perguntas que caracterizam a atitude filosófica?
    “O que é filosofia?” “O que é a liberdade?”. “O que é um valor?”,

  3. karoline Faria Guimaraes
    14/05/2012

    1 INFOR 1

    1.Que paralelos podemos estabelecer entre a personagem Neo, do filme Matrix, e o filósofo Sócrates?
    Porque ele era um pirata eletrônico, alguém capaz de invadir programas, decifrar códigos e mensagens, mas, sobretudo, porque ele também era um criador de programas de realidade virtual, um perito capaz de rivalizar com a própria Matrix. Por ter um poder semelhante ao da Matrix, Neo sempre desconfiou de que a realidade não era exatamente tal como se apresentava. Sempre teve dúvidas sobre a realidade percebida e, secretamente, questionava o que era a Matrix.
    2. Por que Sócrates é considerado o “patrono da filosofia”?
    Sócrates ,jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade, com as crenças inquestionadas de seus conterrâneos. Ele costumava dizer que era impelido por um espírito interior (como Morfeu instigando Neo) que o levava a desconfiar das aparências e procurar a realidade verdadeira das coisas.
    3. O que Platão quis representar no Mito da Caverna?
    Imaginemos, escreve Platão, uma caverna separada do mundo exterior por um alto muro. Entre esse muro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa alguma luz externa, deixando a caverna na obscuridade quase completa.
    4. Que são as nossas crenças costumeiras?
    Em nossa vida cotidiana, afirmamos, negamos, desejamos, aceitamos ou recusamos coisas, pessoas, situações. Fazemos perguntas, como “Que horas são?”, ou “Que dia é hoje?”. Dizemos frases, como “Ele está sonhando”, ou “Ela ficou maluca”. Fazemos afirmações, como “Onde há fumaça, há fogo”, ou “Não saia na chuva para não se resfriar”. Avaliamos coisas e pessoas, dizendo, por exemplo, “Esta casa é mais bonita do que a outra” e “Maria está mais jovem do que Glorinha”.
    5. Em que momento passamos da atitude costumeira à atitude filosófica?
    Quando o que era objeto de crença aparece como algo contraditório ou problemático e por isso se transforma em indagação ou interrogação, estamos passando da atitude costumeira à atitude filosófica.
    6. Quais as três principais perguntas que caracterizam a atitude filosófica?
    “O que é filosofia?” “O que é a liberdade?”. “O que é um valor?”,

  4. karoline Faria Guimaraes
    14/05/2012

    1 INFOR 1

    1.Que paralelos podemos estabelecer entre a personagem Neo, do filme Matrix, e o filósofo Sócrates?
    Porque ele era um pirata eletrônico, alguém capaz de invadir programas, decifrar códigos e mensagens, mas, sobretudo, porque ele também era um criador de programas de realidade virtual, um perito capaz de rivalizar com a própria Matrix. Por ter um poder semelhante ao da Matrix, Neo sempre desconfiou de que a realidade não era exatamente tal como se apresentava. Sempre teve dúvidas sobre a realidade percebida e, secretamente, questionava o que era a Matrix.
    2. Por que Sócrates é considerado o “patrono da filosofia”?
    Sócrates ,jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade, com as crenças inquestionadas de seus conterrâneos. Ele costumava dizer que era impelido por um espírito interior (como Morfeu instigando Neo) que o levava a desconfiar das aparências e procurar a realidade verdadeira das coisas.
    3. O que Platão quis representar no Mito da Caverna?
    Imaginemos, escreve Platão, uma caverna separada do mundo exterior por um alto muro. Entre esse muro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa alguma luz externa, deixando a caverna na obscuridade quase completa.
    4. Que são as nossas crenças costumeiras?
    Em nossa vida cotidiana, afirmamos, negamos, desejamos, aceitamos ou recusamos coisas, pessoas, situações. Fazemos perguntas, como “Que horas são?”, ou “Que dia é hoje?”. Dizemos frases, como “Ele está sonhando”, ou “Ela ficou maluca”. Fazemos afirmações, como “Onde há fumaça, há fogo”, ou “Não saia na chuva para não se resfriar”. Avaliamos coisas e pessoas, dizendo, por exemplo, “Esta casa é mais bonita do que a outra” e “Maria está mais jovem do que Glorinha”.
    5. Em que momento passamos da atitude costumeira à atitude filosófica?
    Quando o que era objeto de crença aparece como algo contraditório ou problemático e por isso se transforma em indagação ou interrogação, estamos passando da atitude costumeira à atitude filosófica.
    6. Quais as três principais perguntas que caracterizam a atitude filosófica?
    “O que é filosofia?” “O que é a liberdade?”. “O que é um valor?”,

  5. karoline Faria Guimaraes
    14/05/2012

    1 INFOR 1

    1.Que paralelos podemos estabelecer entre a personagem Neo, do filme Matrix, e o filósofo Sócrates?
    Porque ele era um pirata eletrônico, alguém capaz de invadir programas, decifrar códigos e mensagens, mas, sobretudo, porque ele também era um criador de programas de realidade virtual, um perito capaz de rivalizar com a própria Matrix. Por ter um poder semelhante ao da Matrix, Neo sempre desconfiou de que a realidade não era exatamente tal como se apresentava. Sempre teve dúvidas sobre a realidade percebida e, secretamente, questionava o que era a Matrix.
    2. Por que Sócrates é considerado o “patrono da filosofia”?
    Sócrates ,jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade, com as crenças inquestionadas de seus conterrâneos. Ele costumava dizer que era impelido por um espírito interior (como Morfeu instigando Neo) que o levava a desconfiar das aparências e procurar a realidade verdadeira das coisas.
    3. O que Platão quis representar no Mito da Caverna?
    Imaginemos, escreve Platão, uma caverna separada do mundo exterior por um alto muro. Entre esse muro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa alguma luz externa, deixando a caverna na obscuridade quase completa.
    4. Que são as nossas crenças costumeiras?
    Em nossa vida cotidiana, afirmamos, negamos, desejamos, aceitamos ou recusamos coisas, pessoas, situações. Fazemos perguntas, como “Que horas são?”, ou “Que dia é hoje?”. Dizemos frases, como “Ele está sonhando”, ou “Ela ficou maluca”. Fazemos afirmações, como “Onde há fumaça, há fogo”, ou “Não saia na chuva para não se resfriar”. Avaliamos coisas e pessoas, dizendo, por exemplo, “Esta casa é mais bonita do que a outra” e “Maria está mais jovem do que Glorinha”.
    5. Em que momento passamos da atitude costumeira à atitude filosófica?
    Quando o que era objeto de crença aparece como algo contraditório ou problemático e por isso se transforma em indagação ou interrogação, estamos passando da atitude costumeira à atitude filosófica.
    6. Quais as três principais perguntas que caracterizam a atitude filosófica?
    “O que é filosofia?” “O que é a liberdade?”. “O que é um valor?”,

  6. danillo alves de souza
    14/05/2012

    1 infor 1

    1.Que paralelos podemos estabelecer entre a personagem Neo, do filme Matrix, e o filósofo Sócrates?
    Porque ele era um pirata eletrônico, alguém capaz de invadir programas, decifrar códigos e mensagens, mas, sobretudo, porque ele também era um criador de programas de realidade virtual, um perito capaz de rivalizar com a própria Matrix. Por ter um poder semelhante ao da Matrix, Neo sempre desconfiou de que a realidade não era exatamente tal como se apresentava. Sempre teve dúvidas sobre a realidade percebida e, secretamente, questionava o que era a Matrix. Por ter um poder semelhante ao da Matrix, Neo sempre desconfiou de que a realidade não era exatamente tal como se apresentava.
    2. Por que Sócrates é considerado o “patrono da filosofia”?
    Sócrates ,jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade, com as crenças inquestionadas de seus conterrâneos. Ele costumava dizer que era impelido por um espírito interior como Morfeu instigando Neo que o levava a desconfiar das aparências e procurar a realidade verdadeira das coisas.
    3. O que Platão quis representar no Mito da Caverna?
    Imaginemos, escreve Platão, uma caverna separada do mundo exterior por um alto muro. Entre esse muro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa alguma luz externa, deixando a caverna na obscuridade quase completa. Desde seu nascimento, geração após geração, seres humanos estão acorrentados ali, sem poder mover a cabeça na direção da entrada nem se locomover até ela, forçados a olhar apenas a parede do fundo, vivendo sem nunca ter visto o mundo exterior nem a luz do Sol
    4. Que são as nossas crenças costumeiras?
    Em nossa vida cotidiana, afirmamos, negamos, desejamos, aceitamos ou recusamos coisas, pessoas, situações. Fazemos perguntas, como “Que horas são?”, ou “Que dia é hoje?”. Dizemos frases, como “Ele está sonhando”, ou “Ela ficou maluca”. Fazemos afirmações, como “Onde há fumaça, há fogo”, ou “Não saia na chuva para não se resfriar”. Avaliamos coisas e pessoas, dizendo…
    5. Em que momento passamos da atitude costumeira à atitude filosófica?
    Quando o que era objeto de crença aparece como algo contraditório ou problemático e por isso se transforma em indagação ou interrogação, estamos passando da atitude costumeira à atitude filosófica. Essa mudança de atitude indica algo bastante preciso: quem não se contenta com as crenças ou opiniões preestabelecidas, quem percebe contradições e incompatibilidades entre elas, quem procura compreender o que elas são e por que são problemáticas está exprimindo um desejo, o desejo de saber.
    6. Quais as três principais perguntas que caracterizam a atitude filosófica?
    “O que é filosofia?” “o que é um valor?”, “O que é a liberdade?”.
    DANILLO ALVES DE SOUZA.

  7. espedito
    22/02/2013

    gostei dos ensinamentoa

  8. joaõ
    29/05/2013

    Perfeito!

  9. Linda M. Figueiró
    04/08/2013

    QUESTÕES

    Explique o que é dogmatismo?
    O que é atitude dogmática? Por que ela é conservadora?
    Quando se rompe a atitude dogmática?
    Dê um exemplo (tirado de sua vida pessoal, da literatura ou da tv) de estranhamento diante de alguma coisa ou de algum fato que parecia simples e natural.
    Qual a diferença entre atitude dogmática e atitude crítica?
    O que é a verdade segundo alétheia, veritas e emunah? Explique cada uma delas e, em seguida, identifique as diferenças entre elas.
    O que é a concepção pragmática da verdade? O que é evidência? Por que a verdade a exige?
    Quais os principais pontos de concepções da verdade no Grande Racionalismo do XVII?
    Em que aspectos concordam os filósofos antigos e modernos no tocante à verdade?
    Que são juízos analíticos a priori e juízos sintéticos a priori?
    Quais as exigências para que um conhecimento seja verdadeiro?
    O que é a verdade para a filosofia idealista de Kant e Husserl?
    Explique brevemente a concepção pragmática da verdade.
    Explique brevemente as mudanças na concepção da verdade em decorrência de mudanças sociais e históricas.
    Explique brevemente as mudanças na concepção da verdade em decorrência de mudanças internas à filosofia.

    GOSTARIA DAS RESPOSTAS DESSAS QUESTÕES PARA INTENDER UM POUCO MAIS SOBRE DOGMATISMO ..
    OBRIGADA !

  10. Anônimo
    21/10/2013

    exprique brevemente as mudanças na concepçao da verdade em decorrencia de mudanças sociais e historicas

  11. leia
    18/12/2013

    gostaria da resposta desta perguntas

Deixe uma resposta ou Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 01/05/2012 por em Filosofia.
%d blogueiros gostam disto: