Prof. Pedro Paulo – Tecnologia, Sociologi@ & Filosofi@

A Tecnologia como ferramenta a serviço da Educação

Educação e tecnologia.

Uma gama de informações e notícias nos é passada todos os dias sobre vários temas. Algumas nos dizem respeito e outras, que nada têm a ver conosco, na maioria das vezes, nem as registramos porque não nos sensibilizou ou porque é de pouca importância para o nosso dia-a-dia.

Tenho observado, no entanto, que fatos novos passaram a fazer parte do nosso cotidiano. Notícias a respeito do avanço tecnológico em diversos segmentos, das novas tecnologias de ponta na indústria, no comércio e na área da saúde. Chegam-nos, também, informações a respeito dos avanços na informática, na cinemática, nas transmissões de dados via satélite e por aí afora.

Chego a pensar que Peter F. Drucker, em seu livro “Uma era de Descontinuidade”, editado no Brasil em 1976, estava certo com relação ao futuro e as mudanças que estariam por acontecer e, sobretudo, no conceito das relações sociais.

Mas uma coisa me chamou a atenção neste cenário e que também a ele não passou despercebido; se estamos vivendo a era do conhecimento e da informação, quando é que a tecnologia vai chegar à educação?

Passam-se os anos e o cenário que vemos na maioria das escolas é o mesmo – um quadro negro, uma caixa de giz, um apagador, um (a) professor(a), um armário trancado com chave repleto de curiosidades, alunos sentados em fila, um atrás do outro, e um regime autoritário que inibe as melhores ações tanto de professores como de alunos.

Felizmente, somos sabedores da existência de modelos mais avançados em determinados níveis da educação, principalmente no ensino superior, que projeta e alavanca o conhecimento de maneira dinâmica, numa perfeita simbiose de tecnologia e informação, com vistas ao crescimento do ser humano, atravessando fronteiras.

Refiro-me ao ensino a distância, onde a tecnologia está associada às novas técnicas metodológicas de ensino, com resultados surpreendentes. Na maioria dos casos, os alunos assistem às aulas numa sala beneficiando-se de equipamentos e sistemas modernos de comunicação à distância, absorvendo conhecimentos de profissionais de renome internacional, altamente capacitados e experientes no mercado de trabalho a um custo relativamente baixo, se comparado ao sistema convencional que exigiria um dispêndio muito maior de parte da instituição de ensino e do aluno, por conseguinte.

O modelo educacional ainda vigente e aceito pela maioria das pessoas é o da presença física do educador numa sala de aula, com guarda-pó, giz e apagador. Já o formato e a metodologia de ensino adotado por esta nova onda na educação nos mostra uma mudança há muito desejada, pois já estamos vivendo o futuro da era “Flash Gordon” onde a teleconferência é uma realidade, quando aproxima executivos de diferentes partes do mundo, quando um médico assiste a uma cirurgia de cérebro ocorrendo do outro lado do planeta, em tempo real, e quando um professor discute conceitos sobre administração, matemática ou robótica de qualquer lugar do mundo, com a mesma qualidade, competência e sabedoria.

Não podemos fechar os olhos para o avanço da tecnologia e para as mudanças que já estão acontecendo ao nosso redor. O ensino à distância é uma realidade incontestável, como falar ao celular, ouvir música e enviar foto através de um único aparelho, além de ser uma excelente opção para aqueles que buscam o conhecimento com menor custo e qualidade.

Mauricio Campos de Menezes – Professor, especialista em Auditoria e em Administração Financeira – diretor do Centro de Ensino e Aperfeiçoamento para Empreendedores-CENAEMP-Rondonópolis – Contato:mauriciocmenezes@uol.com.br.

Seus talentos

Brasilio Neto

Voce conhece a parabola dos talentos, da Biblia?
Vamos la, um senhor foi viajar e distribuiu uma pequena fortuna entre seus filhos, alertando-os que na volta recolheria o dinheiro e os frutos que viessem dele. O primeiro filho ganhou cinco Talentos, o segundo tres e o terceiro dois. Os dois mais velhos investiram o dinheiro sabiamente, e duplicaram o montante ate a volta de seu pai. O terceiro, temeroso em perder o que lhe foi confiado, simplesmente enterrou o dinheiro.
Ao chegar, o sabio senhor fez a famosa pergunta:
– Que fizeste com os Talentos que lhe dei?

Pois e. Voce tambem recebeu muitos talentos no dia em que decidiu abracar a profiss?o de educador. Todas as suas lutas no curso superior, as pesquisas diarias, o conhecimento, a pratica. Tudo isso s?o talentos valiosissimos. E alguns professores os enterram na areia, dando aulas desmotivadas e… so.

Possibilidades – existe um mercado imenso a sua espera, professor. Dezenas de oportunidades para voce ajudar seus colegas, sua comunidade, seus alunos e ainda por cima faturar com isso. Veja:

1 – ELABORAR APOSTILAS OU CONTEUDO PROGRAMATICO

O que e – Com o conhecimento de sua materia, voce pode elaborar um apostila ou o conteudo programatico de um ano letivo e vender esse material para colegas ou escolas. Uma ampla pesquisa e boa apresentac?o contam muito no produto final… Se voce for conhecido pela comunidade, ajudara na venda e na distribuic?o.

Como comecar – Imagine qual seria, para voce, a sequencia ideal dos assuntos de sua disciplina. O que vale a pena ser abordado, e como. A partir dai, escreva os capitulos, sempre cercado de uma boa pesquisa feita em diversas fontes. E bom tambem checar as decis?es do Ministerio da Educac?o e org?os estaduais e municipais competentes para desenvolver o conteudo adequado.

Para quem vender – Pequenas escolas que n?o tenham se associado a grandes grupos de ensino ou que estejam pensando em mudar de fornecedor. Vender o conteuudo programatico, com sugest?es de livros e atividades e mais facil. Para comercializar as apostilas, o melhor e se unir com alguns colegas experientes em diversas materias e apresentar o produto completo: Fisica, Quimica, Geografia, Matematica, enfim, todas as disciplinas de determinada serie.

2 – TRADUC?O

O que e – Artigos, jornais, revistas, sites da Internet. Correspondencia que precisa ser revisada antes de ser enviada para a matriz da Europa. Ha um grande mercado para um professor de liinguas que queira tambem atuar como tradutor.

Como comecar – Aqui, o primeiro passo e conseguir clientes. N?o e t?o dificil quanto parece. Procure entre seus amigos e conhecidos pessoas que trabalhem em multinacionais (ou tenham negocios frequentes com o exterior) e ofereca-se. Cuidado, apenas, para n?o anunciar tal servico para seus alunos, para n?o misturar o relacionamento didatico com o comercial. Afinal, alguns podem achar complicado reprovar uma aluna apos traduzir um material para a empresa da m?e dela. Porem, voce pode sondar ex-alunos mais antigos (certifique-se que eles n?o tem parentes no colegio), colegas e diretores.

Para quem vender – Empresas que tenham contato frequente com o exterior, filiais de multinacionais, profissionais autonomos, escritores que desejam enviar seus trabalhos para fora.

3 – CONSULTOR DE EDUCAC?O

O que e – Cada vez mais, as empresas acordam para a sua responsabilidade social – ou seja, sentem que devem dar algo a comunidade na qual ela se encontra. E uma das ac?es mais procuradas e o apoio a educac?o. Como as empresas n?o entendem nada nesse negocio, precisam de alguem do ramo.
Ao mesmo tempo, as companhias sentem que, para sobreviver no mercado, e preciso elevar o nivel de seu pessoal atraves da educac?o.

Como comecar – E bom preparar alguns projetos acessiveis para mostrar as empresas. Voce sabe quais s?o os problemas mais urgentes das redondezas: falta de biblioteca? De vagas? De “algo mais” no ensino? Apos ter montado esse projeto, acione sua rede de contatos novamente para tentar falar com os chef?es das empresas e apresentar suas ideias. Cuidado para n?o apresentar tudo de uma vez, ou dar-lhes algo que possam fazer sem a sua supervis?o. Aproveite e questione sobre a equipe.

Anúncios

Sobre brito964

Nascido em Belo Horizonte - 44 anos. Pedagogo. Professor/Analista da Educação. Educação. Tecnologia. Aprendizagem em Ambientes Colaborativos. Casado. Arinos - MG.

Um comentário em “Educação e tecnologia.

  1. karoline Faria Guimaraes
    14/05/2012

    1 ANO INFOR 1

    1.Que paralelos podemos estabelecer entre a personagem Neo, do filme Matrix, e o filósofo Sócrates?
    Porque ele era um pirata eletrônico, alguém capaz de invadir programas, decifrar códigos e mensagens, mas, sobretudo, porque ele também era um criador de programas de realidade virtual, um perito capaz de rivalizar com a própria Matrix. Por ter um poder semelhante ao da Matrix, Neo sempre desconfiou de que a realidade não era exatamente tal como se apresentava. Sempre teve dúvidas sobre a realidade percebida e, secretamente, questionava o que era a Matrix.
    2. Por que Sócrates é considerado o “patrono da filosofia”?
    Sócrates ,jamais se contentou com as opiniões estabelecidas, com os preconceitos de sua sociedade, com as crenças inquestionadas de seus conterrâneos. Ele costumava dizer que era impelido por um espírito interior (como Morfeu instigando Neo) que o levava a desconfiar das aparências e procurar a realidade verdadeira das coisas.
    3. O que Platão quis representar no Mito da Caverna?
    Imaginemos, escreve Platão, uma caverna separada do mundo exterior por um alto muro. Entre esse muro e o chão da caverna há uma fresta por onde passa alguma luz externa, deixando a caverna na obscuridade quase completa.
    4. Que são as nossas crenças costumeiras?
    Em nossa vida cotidiana, afirmamos, negamos, desejamos, aceitamos ou recusamos coisas, pessoas, situações. Fazemos perguntas, como “Que horas são?”, ou “Que dia é hoje?”. Dizemos frases, como “Ele está sonhando”, ou “Ela ficou maluca”. Fazemos afirmações, como “Onde há fumaça, há fogo”, ou “Não saia na chuva para não se resfriar”. Avaliamos coisas e pessoas, dizendo, por exemplo, “Esta casa é mais bonita do que a outra” e “Maria está mais jovem do que Glorinha”.
    5. Em que momento passamos da atitude costumeira à atitude filosófica?
    Quando o que era objeto de crença aparece como algo contraditório ou problemático e por isso se transforma em indagação ou interrogação, estamos passando da atitude costumeira à atitude filosófica.
    6. Quais as três principais perguntas que caracterizam a atitude filosófica?
    “O que é filosofia?” “O que é a liberdade?”. “O que é um valor?”,

Deixe uma resposta ou Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 31/05/2009 por em Uncategorized.
%d blogueiros gostam disto: