Prof. Pedro Paulo – Tecnologia, Sociologi@ & Filosofi@

A Tecnologia como ferramenta a serviço da Educação

Nenhum a Menos “O Filme”

O filme Nenhum a Menos foi apresentado para os cursistas do Curso de Informática Educativa nas Escolas Estaduais a partir de Novembro de 2008.


Nenhum a Menos/Yi Ge Dou Bu Neng Shao
一个都不能少 (yī gè dōu bù néng shăo )
Realizado por Zhang Yimou
China, 1999 Cor – 100 min.
Com: Wei Minzhi, Zhang Huike, Tian Zhenda, Gao Enman, Sun Zhimei, Feng Yuying, Li Fanfan, Zhang Yichang, Xu Zhanqing, Liu Hanzhi

Quando o professor da escola primária de Shuiquan tem de se ausentar durante um mês, o presidente da pequena aldeia, Tian, apenas consegue encontrar uma adolescente de 13 anos, Wei Minzhi, para o substituir. O professor Gao adverte-a para que não permita que mais alunos abandonem a escola, garantindo-lhe o pagamento de 50 yuan e mais um pequeno extra se for bem sucedida. Minzhi, pouco mais velha que alguns dos seus alunos (do 1º ao 4º ano, na mesma classe), pouco mais pode fazer do que escrever texto no quadro e ensinar uma ou outra canção. Mal a jovem professora se estreia, uma pequena aluna é convidada a ingressar numa escola de desporto e, quase de imediato, Huike, um dos miúdos mais difíceis de controlar nas aulas, é obrigado a ir trabalhar para a cidade, pois vive só com a mãe, que está doente e imersa em dívidas. Minzhi recusa-se a perder outro aluno. Adaptado por Shi Shiangsheng do seu livro.

not_one3

Aqui não há romance e nunca deixamos o ponto de vista de Wei Minzhi, cuja única preocupação é cumprir a sua função de professora, durante um mês, e, posteriormente, encontrar Huike, perdido algures na cidade. Zhang Yimou cria uma obra naturalista, num estilo documental, em que a câmara se comporta como um observador imparcial. A banda sonora está quase despida de música; os sons que ouvimos são passos, diálogos, sobre um fundo de ruídos do campo ou o barulho do trânsito e da azáfama citadina, na segunda parte do filme. A música não está ausente de todo, algumas peças assinadas por San Bao marcam presença, em meia dúzia de momentos dramaticamente relevantes. Mas este realismo social é obtido sobretudo através da escolha do elenco, não só constituído por amadores, mas recorrendo a pessoas que exercem funções idênticas ou similares às das suas personagens e que usam aqui o seu nome verdadeiro.

Nenhum a Menos 2

«Nenhum a Menos» demonstra claras preocupações sociais, relativas às condições da interioridade na China moderna, patentes sobretudo no texto apresentado no final do filme, mas essa “lição” coabita eficazmente com a narrativa cinematográfica e não se mete no seu caminho. O tema escolhido e a forma que o revestiu não levantaram problemas as autoridades chinesas, como aconteceu com outras obras de Zhang, que abordaram temáticas político-sociais mais sensíveis.
FONTE: http://www.asia.cinedie.com/not_one_less.htm


Anúncios

Sobre brito964

Nascido em Belo Horizonte - 44 anos. Pedagogo. Professor/Analista da Educação. Educação. Tecnologia. Aprendizagem em Ambientes Colaborativos. Casado. Arinos - MG.

25 comentários em “Nenhum a Menos “O Filme”

  1. Bila Lopes
    20/05/2009

    Sobre o filme “Nenhum a menos”.
    O nome da aldeia é Sichuan, na China.Lugar onde em 2008 ocorreu um grande terremoto.Esse filme, retrata muita semelhança entre a sua história e a nossa escola hoje.Onde muitos dos nossos alunos, vão trabalhar e saem da escola. Acho que deve ensinar as crianças a trabalhar, para aprender a valorizar o trabalho, porém desde que não traga prejuízo para a sua aprendizagem na escola.
    Eu vejo que a professora Wei Minzhi, no início estava preocupada com o seu pagamento, mas ela foi se apaixonando pela arte de ser professor
    assim como nós, que ela foi buscar o aluno por amor mesmo.

  2. Maria Nilva
    31/05/2009

    Sobre o filme:”Nenhum a menos”
    Na província de Shiquan ocorreu, em 2008, um terremoto que devastou toda a aldeia. Por essa razão um determinado aluno teve que abandonar os estudos para trabalhar. Esse ato é comum também no Brasil, muitos alunos param de estudar para ajudarem nas despesas de casa. Outra semelhança que o filme tem com nossa realidade é a preocupação e esforço do professor para que o aluno permaneça na escola. Podemos observar que o que difere da nossa realidade é que a professora do filme é menor de idade, com apenas 13 anos, mas mesmo tão nova, preocupou-se com a situação de seu aluno evadido e resolveu procurá-lo. No início ela tomou essa atitude pensando no seu salário que iria diminuir, caso seus alunos diminuissem, mas, posteriormente ela ficou comovida com a situação do aluno compreendendo que o trabalho infantil não lhe traria benefícios na fase adulta.
    A professora utilizou da televisão como instrumento para trazer o aluno de volta a sala de aula e acabou obtendo êxito ao encontrá-lo na cidade.

  3. Janilde Mendes de Souza Santos Vieira Ribeiro
    05/06/2009

    Òlà Pedro,
    Estou enviando o texto que estava faltando.
    um grande abraço!
    Janilde15 de Março

    Sinopse: Filme chinês, premiado com o Leão de Ouro no Festival de Cinema de Veneza e escolhido pelo júri popular da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 1999. O roteiro, muito bem elaborado, conta a história de uma garota de 13 anos que assume provisoriamente a classe de uma escola rural, absolutamente carente. Uma das grandes qualidades da fita é mostrar a transformação da personagem central. Aceita o trabalho por necessidade financeira, sendo prometido a ela um acréscimo em dinheiro se conseguisse manter todos os alunos, a evasão escolar é um problema sério na China. A pobreza é tanta que só pode gastar um giz por dia. A fuga de um dos alunos é o fato gerador de uma série de mudanças no grupo, entre elas, o uso dos recursos da matemática ligados à vida prática. A jovem professora, persistente em suas ações, amadurece e se envolve afetivamente com o trabalho, assumido inicialmente de forma descompromissada. Verdadeiro, sensível e muito propício num momento em que tanto se discute a evasão e escolar e social.

    Filme: Nenhum a Menos
    Direção: Zhang Yimou
    Duração/Ano: 106 min – 1998
    Comentário: Prof. Carlos Ripe
    Local: Teatro Glauber Rocha
    Ficha Técnica: Filme chinês, premiado com o Leão de Ouro no Festival de Cinema de Veneza e escolhido pelo júri popular da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 1999. O roteiro, muito bem elaborado, conta a história de uma garota de 13 anos que assume provisoriamente a classe de uma escola rural, absolutamente carente. Uma das grandes qualidades da fita é mostrar a transformação da personagem central. Aceita o trabalho por necessidade financeira, sendo prometido a ela um acréscimo em dinheiro se conseguisse manter todos os alunos, a evasão escolar é um problema sério na China. A pobreza é tanta que só pode gastar um giz por dia. A fuga de um dos alunos é o fato gerador de uma série de mudanças no grupo, entre elas, o uso dos recursos da matemática ligados à vida prática. A jovem professora, persistente em suas ações, amadurece e se envolve afetivamente com o trabalho, assumido inicialmente de forma descompromissada. Verdadeiro, sensível e muito propício num momento em que tanto se discute a evasão e escolar e social.

    Assista o trailer do filme. Clique Aqui

    Elenco:
    Wei Minzhi, Zhang Huike, Tian Zhenda, Gao Enman, Sun Zhimei

  4. Claudia Gomes Silva Oliveira Ribeiro
    05/06/2009

    Atividade 16

    Vídeo: Nenhum a Menos

    O filme Nenhum a Menos é baseado em uma história real que se passa em uma província Chui Chuan, onde ocorreu um grande terremoto no ano de 2008.
    Uma escola localizada na zona rural, em péssimas condicões,com alunos provinientes de famílias pobres, sem nenhuma perspectiva de vida. Professor trabalhava de acordo o seu conhecimento(leigo) e sua experiencia de vida, usando como recurso didático o giz e o quadro negro. Hoje os professore mesmo trabalhando em zonas rurais são na sua maioria capacitados,possuem curso superior,têm materal didático disponível dentro das possibilidades e pedagógico, diversos recursos tecnológicos disponíveis além do giz e do quadro negro.Alguns trabalham por amor a profissão não pelo dinheiro, assim como no filme, mas pelo prazer em estar formando pessoas,conscientes da sua realidade.Mas ainda assim,apesar de todo trabalho realizado pelos professores,escola,SREs,Estado é preciso continuar a luta por uma Educação de Qualidade. O filme mostrou ainda, que para a educação acontecer,não basta ter experiência, mas, boa vontade de ensinar e que a educação só terá resultados satisfatórios se ensinarmos o que o aluno precisa aprender.Através da educação conseguiremos mudar a situação sócio-econômica, diminuindo a pobreza e consequentemente o trabalho infantil.

    http://www.google.com.br – Nenhum a menos
    GRUPO 02- cordel

    I
    Certa vez uma menina
    Uma missão recebeu
    Substituir um professor
    Parecia coisa de Deus
    Não pensou duas vezes
    O convite atendeu.

    II

    Quando chegou à Escola
    Algo importante a cumprir
    Não poderia deixar
    Nenhum aluno desistir
    Nem tampouco faltar
    Assim ela ia seguindo
    Sem abandono escolar.

    III

    Quando viu um dos alunos
    Escapando pela mão
    Partiu pra cidade grande
    Andando sem direção
    Passou fome, passou frio
    Enfrentou decepção
    Mas na sua persistência
    Encontrou a solução.

    IV

    Grande era o desafio
    Ninguém pode duvidar
    Só quem é professor
    Sabe a tarefa de educar
    Valorizando a vida
    Com o objetivo de amar.

    V

    Aquela jovem preocupada
    Por ser uma defensora
    Para ajudar um aluno
    Sentiu-se sua protetora
    Porque mestre é assim
    Parece mais genitora

    VI

    Agora caros colegas
    Prestem muita atenção
    Esse filme que vimos
    Nos deixa uma grande lição
    Que na sala de aula deve haver
    Amor, respeito e compreensão.

    Equipe : Luciária, Tânia Maria Lima, Eliane Cristina, Sebastião Soares e Verônica Marques de Lima.

  5. Suelene Dias de Oliveira
    05/06/2009

    Resposta do filme: Nenhum a Menos
    O filme Nenhum a Menos é situado numa pequena aldeia chamada Chui Chuan no interior da China.
    Enquanto assistimos ao filme, percebemos um fato muito triste, que ocorreu no ano de 2008, ou seja, um terremoto que causou um grande conflito, destruindo assim grande parte da província. A semelhança entre a escola de filme e a escola brasileira é a transparência, pois há uma grande falta de recursos em ambas escolas, também uma das diferenças que percebemos é que na escola do filme a professora é uma adolescente, uma vez que, no Brasil não é permitido isso.Houve também um grande esforço por parte da professora em não deixar que o aluno evadisse, isso ela fez porque queria que ele realmente voltasse e não devido o dinheiro. Sabemos que, o trabalho infantil não traz nenhum benefício para a sociedade, pelo contrário, faz com que o analfabetismo aumente cada vez mais, gerando mais pobreza e miséria. Lembrando ainda que, nos dias atuais a televisão é um dos meios de comunicação mais usados pela população e sendo assim, a professora do filme utilizou deste meio para reencontrar o aluno e obteve grande sucesso.

    Pedro Paulo, segue atividade 16

  6. Maria Nilva
    05/06/2009

    Sobre o filme:”Nenhum a menos”
    Na província de Shiquan ocorreu, em 2008, um terremoto que devastou toda a aldeia. Por essa razão um determinado aluno teve que abandonar os estudos para trabalhar. Esse ato é comum também no Brasil, muitos alunos param de estudar para ajudarem nas despesas de casa. Outra semelhança que o filme tem com nossa realidade é a preocupação e esforço do professor para que o aluno permaneça na escola. Podemos observar que o que difere da nossa realidade é que a professora do filme é menor de idade, com apenas 13 anos, mas mesmo tão nova, preocupou-se com a situação de seu aluno evadido e resolveu procurá-lo. No início ela tomou essa atitude pensando no seu salário que iria diminuir, caso seus alunos diminuissem, mas, posteriormente ela ficou comovida com a situação do aluno compreendendo que o trabalho infantil não lhe traria benefícios na fase adulta.
    A professora utilizou da televisão como instrumento para trazer o aluno de volta a sala de aula e acabou obtendo êxito ao encontrá-lo na cidade.

  7. Maria Nilva Barbosa Santos
    05/06/2009

    .Província de Shuiquan.
    .Um terremoto que devastou toda a aldeia.

    Filme Nenhum a Menos

    Falta de compromisso dos alunos.
    . Uma professora de menor dando aula. Hoje exige no mínimo o magistério.
    . Ela queria realmente a volta do aluno .
    . O fato das crianças não estudarem por causa do trabalho infantil,gera analfabetismo e desemprego na fase adulta.
    . Nos dias de hoje a televisão é um meio de comunicação ,muito usado por isso ajudou a professora encontrar o menino.

    O filme “Nenhum a Menos” recebeu os seguintes prêmios:
    – o Prêmio Lanterna Mágica no Festival de Veneza.
    – o Prêmio Sergio Trasatti no Festival de Veneza.
    – o Prêmio UNICEF no Festival de Veneza.
    – o prêmio de Melhor Filme – Voto Popular na Mostra de Cinema de São Paulo.

  8. Euzely Alves OLiveira Mendes
    05/06/2009

    Vídeo: Nenhum a Menos

    O filme Nenhum a Menos é baseado em uma história real que se passa em uma província Chui Chuan, onde ocorreu um grande terremoto no ano de 2008.
    Uma escola localizada na zona rural, em situações precárias, alunos oriundos de famílias carentes sem nenhuma perspectiva de vida. Professor leigo que trabalhava de acordo o seu conhecimento e sua experiencia de vida, onde o único recurso didático era o giz e o quadro negro. Hoje os professore em sua maioria possui curso superior, suporte pedagógico, capacitações e diversos recursos didáticos disponíveis, e muitos trabalham não pelo dinheiro, assim como no filme, mas pelo prazer em estar formando pessoas, preparando para a vida.
    Sabemos que o trabalho infantil ainda existe apesar da luta realizadas pelos programas sociais, tornando uma ameaça a futuro de nossas crianças.

    O filme “Nenhum a Menos” recebeu os seguintes prêmios:
    – o Prêmio Lanterna Mágica no Festival de Veneza.
    – o Prêmio Sergio Trasatti no Festival de Veneza.
    – o Prêmio UNICEF no Festival de Veneza.
    – o prêmio de Melhor Filme – Voto Popular na Mostra de Cinema de São Paulo.

  9. Janilde Mendes
    05/06/2009

    Respostas sobre o filme : Nenhum a menos.

    1-Está em uma aldeia no interior da China.

    2- Um conflito que destruiu parte da provincia.

    3- Embora os dois países, sejam potências emergentes, as semelhanças entre os dois saõ visiveis.
    A falta de recursos nas escolas do interior e grande concentração de escolas particulares nos centros urbanos.

    4- Ela realmente queria a volta do aluno que evadiu.

    5-O fato das crianças não estudarem por causa do trabalho, gera analfabetismo, pobreza e miseria a longo prazo.
    não.o trabalho infantil não gera beneficios a sociedade.

    6-obs:(enviarei mais tarde)

    7-
    Nos dias de hoje a televisão é um meio de comunicação que abrange muitas partes, e por isso a professora obteve êxito encontrando o menino.

  10. Filme: Nenhum à Menos

    O filme ‘Nenhum à Menos’,é baseado em uma história real e passa se em uma província de Chui Chuan (na China). Nesse filme é relatado a história da professora Wei Minzhi que assume um compromisso de substituir um professor experiente, o qual se ausentaria por motivo de doença familiar, e de não deixar que nenhum aluno se desvie das aulas, ou seja, saísse da escola. Também é mostrado, nesse filme, o trabalho infantil, porém imposto com o intuito de possibilitar a volta de um colega que havia ido embora para outra cidade .Entretanto, é necessário que se saliente que mesmo tendo sido utilizado do trabalho infantil em prol da arrecadação de fundos, os alunos ficaram prejudicados com a falta de aulas(tendo em vista que a família não tinha conhecimento do ocorrido).
    Outro fato marcante ocorrido no filme foi o esforço que a professora teve para trazer de volta o aluno, mas consegue não só a volta do aluno mas também recursos e doações para reformar, ampliar a escola, enriquecendo assim, aquela humilde comunidade e isso implica que o maior interesse da professora não era o dinheiro, e sim a volta do aluno e o bem estar de todos.
    O filme se relaciona com as escolas brasileiras, pois uma em municípios pequenos onde a arrenda é precária, as turmas são distribuídas em turmas multisseriadas o que dificulta a aprendizagem e a socialização dos mesmos. Uma divergência entre as escolas brasileiras e a relatada no filme é que a do filme a estruturas das escolas é precária, não tem muito investimento na educação, já no Brasil, embora ainda tenham muitas desigualdades sociais, a educação ainda recebe recursos bem significantes.
    No filme a professora conseguiu encontrar o aluno através de um meio de comunicação, o jornal televisionado, no qual a repórter além de conseguir trazer de volta o aluno, ela ainda conseguiu patrocínios, doações de autoridades competentes, para reformar a escola e materias didáticos. Sendo assim, a tecnologia foi de fundamental importância na transformação da escola e da comunidade.
    No ano de 2008 acontece na China , na província de Chui Chuan uma catástrofe, que é um grande terremoto que mata milhares de chineses , deixando forte rasto de destruição, muitos feridos e desabrigados, principalmente a classe mais pobre que é a menos favorecida.

    Ane Mércia ..

  11. Ane Mércia Barbosa
    10/06/2009

    Filme: Nenhum à Menos

    O filme ‘Nenhum à Menos’,é baseado em uma história real e passa se em uma província de Chui Chuan (na China). Nesse filme é relatado a história da professora Wei Minzhi que assume um compromisso de substituir um professor experiente, o qual se ausentaria por motivo de doença familiar, e de não deixar que nenhum aluno se desvie das aulas, ou seja, saísse da escola. Também é mostrado, nesse filme, o trabalho infantil, porém imposto com o intuito de possibilitar a volta de um colega que havia ido embora para outra cidade .Entretanto, é necessário que se saliente que mesmo tendo sido utilizado do trabalho infantil em prol da arrecadação de fundos, os alunos ficaram prejudicados com a falta de aulas(tendo em vista que a família não tinha conhecimento do ocorrido).
    Outro fato marcante ocorrido no filme foi o esforço que a professora teve para trazer de volta o aluno, mas consegue não só a volta do aluno mas também recursos e doações para reformar, ampliar a escola, enriquecendo assim, aquela humilde comunidade e isso implica que o maior interesse da professora não era o dinheiro, e sim a volta do aluno e o bem estar de todos. O filme se relaciona com as escolas brasileiras, pois uma em municípios pequenos onde a arrenda é precária, as turmas são distribuídas em turmas multisseriadas o que dificulta a aprendizagem e a socialização dos mesmos.

  12. FILME: NENHUM A MENOS

    O filme nenhum a menos do cineastra Zhang Yimou mostra desafio de uma professora substituta que tenta manter seus alunos na escola, numa aldeia longiqua da china. Portanto, um filme que retrata a evasão escolar e o exploração do trabalho infantil, evidentemente, apresenta problemas não só dos chineses mas também do Brasil. Vale acrecentar o filme oferece ainda varias fontes para uma visãó mais aprofundada da crise na educação.
    No ano de 2008 aconteceu um grande terrremoto na China, onde matou milhares de pessoas. O filme mostra o empenho da professora Wei Minzhi que procura de todas as formas impedir que os aluno deixem de frequentar a escola,indo atrás de um aluno que por ter que ajudar no sustento da a família tem que deixar de frequentar. Fato interessante no filme é o uso das tecnologias que auxiliam na busca do aluno evadido. O filme apresenta uma professora que utiliza de todos as estratégias possíveis para conseguir o retorno e a aprendizagem dos alunos

    APARECIDA ANTUNES DE OLIVEIRA
    ESCOLA ESTADUAL DE BOQUEIRÃO

  13. Paulo Silas
    11/06/2009

    Nenhum amenos é um filme que mostra a sala do professor Gao , com uma professora substituta que tenta mostrar seus alunos na escola numa aldeia distante da China, logo um filme sobre o problema da evasão escolar, é evidente que este é o tema maior abordado no decorrer do filme, problemas não só dos chineses, mas vale apenas ressaltar, que o filme apresenta várias partes para uma visão mais aprofundada da crise na educação(o problema da educação bancária tradicional não só na China mas em vários países.) Ressaltando que além da crise educacional chinesa lembramos do grande terremoto acontecido em 2008, que matou milhares de pessoas e deixando a crise cada vez pior.
    Chamou nais minha atenção, logo no início,é a pobreza da escola e a de seus membros. É uma situação tão desesperadora e precária que a professora só poderia usar um giz por dia. Vários de seus alunos dormem na escola em cama improvisada de carteiras. Esse conflito de ambiente público e privado(escola e casa,respectivamente) se traduz no cuidado e na valorização que os alunos dão as coisas mais simples como giz usado pela professora Wei.
    Já no começo da história, em uma briga com seu aluno mais desregrado e rebelde, Zhang, a professora acaba esmagando o giz que o professor Gao lhe deixara. O fato é lamentado com o pesar no diário de uma das alunas que dormia na escola. Só aí Wei passa a realmente dar importância aquele recurso insignificante, mas único da escola. Até então a escola era cuidada apenas por quem via nela sua própria casa, como ressem-chegada, foi necessário que Wei aprendesse aos poucos o que cada coisa era significativa ali.
    O primeiro motivo da evasão escolar é mostrado claramente quando a menina atleta tem chance de escapar da pobreza e, por mérito próprio, fazer parte das vitórias da nação chines. É certamente, uma chance rara e única , que lhe possibilitará o acesso a outros lugares e a uma nova e melhor educação de qualidade. Neste caso, um amenos na escola do professor Gao, significa justamente o contrário. A menina é só mais uma que conseguiu escapar do ciclo de pobreza que atinge todo o restante.
    A pobreza continua fazendo vítimas. Agora ela é a causa direta da ausência de outro aluno, desta vez o menino Zhang , que parte para acidade a procura de um emprego que possa sustentá-lo e a sua família. Este é o momento da grande virada da escolinha, que deixa de ser um depósito de pobreza e de sofrimento para torná-se o cenário de transformação, promovido pela união de professora e alunos.
    Impulsionada pelo dever de ir atrás do aluno perdido, ela mesma não sabia resolvê-las de ir em busca do aluno Zhang. Depois da contas, vem o heróico esforço, promovido pelas crianças, de carregar tijolos para conseguir dinheiro necessário. Alguns viram nisso exaltação de trabalho infantil, mas o que entendo foi justamente o contrário. São crianças que se sacrificam para salvar uma outra criança como elas.
    Se o trabalho infantil é uma das maiores causas da evasão escolar em todo mundo, neste ele se apresentou como uma opção desesperadora para acabar com o mal que lhe foi imposto. Qualquer um dos alunos poderia ser o protagonista do drama vivido por Zhang; trata se de um problema que no fundo, é de todos.
    No Brasil hoje as escolas perdem alunos brutalmente pela exploração do trabalho infantil, e poucos lutam com amor para retornar-lo á escola.
    A postura de Wei e seus alunos mostra um progresso em todos os níveis na “educação” oferecida pela escola. A união das crianças e sua preocupação com o colega tornou a todos responsáveis por ele indiretamente, pela evasão escolar, uma luta vista pela minha opinião justamente pela volta do aluno.
    PAULO SILAS LOURENÇO DE BARROS
    ESCOLA ESTADUAL DE BOQUEIRÃO
    SOCÓ VELHO MONTE AZUL

  14. Marilene Barbosa Teixeira
    11/06/2009

    O FILME NENHUM A MENOS ACONTECEU NA CHINA NA CIDADE DE SHUINQUAN RELATANDO UM ACONTECIMENTO REAL, A CHINA SOFREU UM GRANDE ABALO NO ANO DE 2008, UM GRANDE TERREMOTO QUE MATOU MILHARES DE CHINESES. NENHUM A MENOS MOSTRA UMA REALIDADE QUE INFELIZMENTE ACONTECE EM MUITAS ESCOLAS DA CHINA E TAMBÉM EM ESCOLAS BRASILEIRAS, ENTRE TANTOS PROBLEMAS QUE VIMOS NO FILME PODEMOS DESTACAR A EVASÃO ESCOLAR, UMA DAS MAIORES CAUSAS DA EVASÃO ESCOLAR É O TRABALHO INFANTIL, A PROFESSORA WEI MINZHI REALMENTE SE PREOCUPOU COM O ALUNO EVADIDO, E SE EMPENHOU PARA TRAZÊ-LO DE VOLTA A ESCOLA, COM AJUDA DA TELEVISÃO, ONDE ELA PODE FALAR AO VIVO PARA TODO O PAÍS E COLOCAR A DIFICULDADE QUE A ESCOLA ESTAVA PASSANDO E O MOTIVO PELO O QUAL O ALUNO EVADIU A ESCOLA PARA A CIDADE GRANDE EM BUSCA DE TRABALHO, WEI FOI UMA VITORIOSA, FEZ O QUE PROVAVELMENTE MUITOS ADULTOS NÃO FARIAM, ELA CONSEGUIU TRAZER DE VOLTA O ALUNO EVADIDO E AJUDAR A ESCOLA AO MESMO TEMPO. UM EXEMPLO A SER SEGUIDO…
    MARILENE BARBOSA TEIXEIRA
    SECRETÁRIA ESCOLAR
    10/06/2009.

  15. marciasilaine
    19/06/2009

    FILME: NENHUM A MENOS
    Olá Pedro,

    O nome da aldeia Sichuan, na China lugar onde ocorreu um terremoto. No filme podemos observar algumas semehanças com as escolas brasileiras onde o problema da evasão escolar é uma realidade.
    A professora Wei Minzhi ensina que não devemos deixar nenhum aluno excluído, temos que empenhar para que todos sejam frequentes. Quando assumiu o trabalho pensava somente no dinheiro, mas depois de algum tempo acabou se envolvendo com os problemas daquela aldeia e ajudando a solucionar alguns.
    MÁRCIA – ESCOLA ODILON COELHO-PORTEIRINHA

  16. Durvalina Rita de Jesus
    19/06/2009

    Filme: NENHUM A MENOS
    Durvalina Rita de Jesus, comenta;
    O Nome da aldeia é Sichuan, na China onde em 2008 ocorreu um grande terremoto.
    Esse filme retrata um gesto de perserverança,responsabilidade e o lado humano é nítido.
    Eu vejo que a professora Wei Minzhi,no início estava preocupada com seu pagamento, mas ela se apaixonou pela arte de ser professora e nos deixou uma lição de vida.

    PEDRO no mais foi um prazer te conhecer, e foram divertidos e ricos os momentos que passamos juntos.

  17. Eunicelelescunha
    19/06/2009

    Eunice Leles Cunha
    19 / 06 / 2009
    Nenhum a menos passa em uma provincia de chui chuan na china que foi baseado na historia real. No filme foi relatado uma historia de uma professora wei minzhi que assume um compromisso de substituir um professor com experiencia, que se ausentou durante um mes por motivo de doença na familia.
    Foi mostrado no filme o trabalho infantil a pobreza .
    E as dificuldades que as escolas enfretam para se manterem.
    Houve um grande terremoto que matou milhares de chineses .
    Aprofessora se preocupou com o aluno evadido, e se empenhou para traze lo de volta com a ajuda da televisao, onde ela falou ao vivo.
    O filme mostrou que a professora usou de todas as formas para traze lo de volta o aluno evadido da escola.

  18. Terezinha do Carmo Santos Farias
    19/06/2009

    Filme: Nenhum a Menos

    O filme foi baseado em fatos reais e ocorreu numa aldeia longíqua da China chamada Shuiquan.
    Retrata cenas muito semelhantes as vividas em muitas escolas brasileiras, principalmente a evasão escolar associada a pobreza, que ainda é um dos grandes problemas do Brasil.
    A professora Wei Minzhi, que inicialmente pensava somente no dinheiro que iria receber, apaixonou-se pela arte de professor e resgata o aluno evadido, não medindo esforços para isso. Inseriu novos métodos de aprendizagem, usando as experiências dos alunos, passando a motivar a turma.
    A sua persistência venceu as dificuldades e rendeu bons frutos, tanto para seus alunos quanto para a aldeia.

  19. Cleusdete
    26/06/2009

    Nenhum a menos

    Filme chines, na cidade de Shuinquan(China)relatando um acontecimento real, que a China sofreu em 2008, grande terremoto que matou muitos chineses.
    Retrata cenas parecidas em muitas escolas brasileiras, principalmente a evasao escolar associada a pobreza, que ainda é um dos grandes problemas do Brasil.
    A professora Wei Minzhi, com 10 anos de idade foi substituir o professor Gao, na Escola Suinglan, na aldeia Suinquan.Ela criança acompanhando crianças.
    Inocentemente nao sabia nem fazer conta, preocupou-se com um aluno que foi para a cidade, fugindo para trabalhar e ajudar a familia, ela sozinha a pe,foi em busca desse aluno.Só conseguiu encontrá-lo através do meio de comunicaçao que é a
    televisao, e com apenas 10 anos de idade mostrou uma guerreira e confiante pessoa.
    No inicio estava interessada na remuneraçao, logo sentiu amor e responsabilidade pelos alunos.

  20. Marinês de Jesus Vieira Santos
    26/06/2009

    O filme Nenhum a Menos aconteceu na china na cidade de SHUINQUAN, relatando um acontecimento real, que a China sofreu em 2008. A professora Wei Minzhi, com 13 anos de idade foi substituir o professor Gao um mês por motivo de doença da família. O filme montrou que a professora usou de todas as formas para traze-lo de volta o aluno evadido da escola. A sua persistência venceu as dificuldades e rendeu bons frutos, tanto para seus alunos quanto a sua aldeia.

  21. Arleth Gomes da Silva
    30/07/2009

    1- Na província de Chui Chuan (na China).
    2- As áreas rurais da China, assim como as brasileiras, são extremamente pobres; e pouca relevância é dada à educação.As crianças são geralmente distribuídas em turmas multisseriadas o que dificulta a aprendizagem e muitas vezes param de estudar para ir trabalhar e ajudar no sustento da família Uma divergência entre as escolas brasileiras e a relatada no filme é que aqui, pouco se tem feito para resgastar essas crianças.
    3-À princípio, a professora, muito inexperiente, se preocupou em manter os alunos na escola por causa do dinheiro, depois se envolveu afetivamente com eles.
    4-O trabalho infantil é uma ameaça ao futuro de nossas crianças e do nosso país,uma vez que tira delas a infância e a oportunidade de acesso aos bens culturais e ao conhecimento que poderá tornar a nossa sociedade mais justa.

  22. A professora novata,no início estava muito insegura. Conseguiu dominar a turma,aos poucos,
    e aplicou novos métodos de ensino, baseados em fatos concretos.A pequena escola de Shuiquan,era muito pobre e a professora precisava segurar os alunos para ganhar os dez yuans.
    Mas um aluno de dez anos fugiu para a cidade grande
    em busca de emprego, pois sua mãe estava doente e tinha muitas dívidas.
    A pequena professora foi procurar o aluno na cidade grande. E conseguiu encontrá-lo através da
    televisão.
    Criança trabalhando só fica prejudicada,pois atrapalha seu rendimento na escola.

  23. Filme: “Nenhum a menos”
    Atividade 16

    O filme Nenhum a menos relatou um acontecimento que aconteceu na Província de Shiquan na aldeia de Chuí, na China onde ocorreu no ano de 2008 um grande terremoto que devastou parte da província fato muito triste, que causou grande conflito deixando muita destruição. A semelhança que o filme mostra em relação às escolas da nossa realidade é o esforço e o comprometimento dos professores pela permaneça do aluno na escola e a existência das turmas multisseriadas. A diferença e que no Brasil não é permitido que uma adolescente de apenas 13 anos assuma uma classe de alunos. Em primeiro momento a professora pensava em receber seu salário sem desconto, mas logo assumiu com compromisso a sua tarefa, agindo de forma que seus alunos não evadissem a escola, correndo atrás dos seus alunos que talvez por motivo de pobreza, estava deixando sua freqüência insuficiente, mas a professora por nova que era não mais aceitava a evasão. Os malefícios é a exploração do trabalho infantil, que muitos alunos deixam de irem a escola para serem explorados no mercado de trabalho e muitas vezes não são conscientizados que podem trabalhar desde que não interfira nos seus estudos. O beneficio o uso das multimídias como a televisão que foi usada para encontrar seu aluno evadido de volta para a sala de aula.

  24. O filme Nenhum a Menos aconteceu na província de Sichuan na China,onde em 2008 ocorreu um grande terremoto que atingiu a província de Sichuan onde matou mais de 10 mil pessoas.Conta a história de um professor que precisava se ausentar por um período de 30 dias por motivo particular.Logo o presidente da aldeia encontra apenas uma adolescente para substituí-lo.Ela é inexperiente,onde tem a responsabilidade de não deixar nenhum aluno evadir da escola. No decorrer de alguns dias um de seus alunos viaja para cidade em busca de trabalho para ajudar sua mãe que está doente e com muitas dívidas.Com as palavras do professor Gão na cabeça ela viaja determinada a encontrar Zhang Huike e o amor fala mais alto o que faz com que ela continue com perseverança usando vários meios de comunicação até que através do canal de televisão local ela consegue reencontrá-lo.
    .A semelhança entre a escola do filme e a escola brasileira é o amor e a dedicação pelos alunos. A diferença é que o material nas escolas de hoje não é insuficiente quanto a escola que Wei trabalhava.
    .O trabalho infantil tem a tendência de aumentar cada vez mais o analfabetismo.

  25. maxwell812
    05/07/2015

    Como conseguir este filme?

Deixe uma resposta ou Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 21/11/2008 por em Uncategorized.
%d blogueiros gostam disto: